China é lar do primata mais raro do mundo

Descoberta de novo casal de gibões-de-hainan pode representar crescimento na população de apenas trinta primatas

Na década de 1950, havia dois mil primatas da espécie gibão-de-hainan no mundo. Setenta anos depois, o número caiu para trinta animais, encontrados somente na Ilha de Hainan, na China. Com a recente descoberta da formação de um novo “casal” de gibões, as esperanças para a sobrevivência do primata mais raro do mundo se renovam.

Os gibões são conhecidos por emitir sons altos e fortes para marcar território. Os casais adultos reprodutores costumam cantar juntos ao amanhecer para fortalecer o vínculo.

“Não consigo imaginar como seria triste se a floresta tropical de Hainan perdesse esse belo animal e sua sonoridade maravilhosa”, disse Philip Lo, oficial sênior de conservação, à rede britânica BBC. Ele trabalha no Hainan Gibbon Conservation Project, responsável por acompanhar a recuperação e sobrevivência do gibão-de-hainan.

Recentemente, um macho e uma fêmea foram vistos cantando juntos, indicando que haviam formado um vínculo estável. Para Philip, trata-se de uma descoberta significativa, já que pode significar a superação do risco de extinção da espécie.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.