Xi e Abe chegam a um consenso de 10 pontos sobre relações bilaterais

O presidente chinês se encontrou com o primeiro-ministro japonês antes da cúpula do G20, em Osaka

O presidente chinês, Xi Jinping, e o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, chegaram a um consenso de 10 pontos para promover em conjunto o desenvolvimento saudável das relações bilaterais durante uma reunião antes da reunião de cúpula do G20, em Osaka. A informação foi transmitida por Wu JiangHao, diretor-geral do Departamento de Assuntos Asiáticos do Ministério das Relações Exteriores da China.

A China e o Japão desfrutaram de uma boa dinâmica geral no desenvolvimento das relações bilaterais, apesar de ainda haver divergências entre eles, afirmou Wu, explicando que os dois líderes concordaram que ambos os países devem se concentrar no consenso para lidar com as diferenças.

Entre o consenso, Xi e Abe elogiaram o impulso no desenvolvimento das relações China-Japão e concordaram que, como ambos os países entraram numa era de desenvolvimento, são necessários esforços conjuntos para construir relações bilaterais que atendam às necessidades da nova era.

Agora que o mundo passa por um período de grandes mudanças, os dois líderes disseram que veem novas oportunidades para o desenvolvimento das relações bilaterais dado que os interesses mútuos e as preocupações comuns dos dois países aumentam a cada dia. Eles também concordaram em manter uma comunicação próxima, fortalecer a liderança de alto nível e continuar a aumentar a confiança política mútua.

Abe, em nome do governo japonês, convidou Xi a fazer uma visita oficial ao Japão na primavera de 2020, convite que, a princípio, foi aceito por Xi.Os dois líderes ordenaram a seus respectivos departamentos das relações exteriores que mantenham a comunicação sobre a época da visita de Estado.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.


  • José Oliveira disse:

    Fantástico em observar dois gigantes econômicos mundiais se entendendo isso é bom para a economia mundial e que esses dois gigantes invistam e muito no Brasil.