Vacinas da Sinopharm e Sinovac evitam hospitalizações graves com Ômicron, diz relatório

Emirados Árabes aprovou uso emergencial de nova vacina chinesa como dose de reforço

As vacinas chinesas da Sinopharm e Sinovac protegem contra hospitalizações graves causadas pela variante Ômicron de Covid-19, de acordo com um especialista da Organização Mundial de Saúde (OMS) citado na terça-feira pelo jornal The National de United Arab Emirates, dos Emirados Árabes Unidos.

Abdi Mahamud, Diretor de Incidentes da OMS para a pandemia, disse que “mais evidências mostram que o Ômicron está afetando o trato respiratório superior, causando sintomas mais leves do que as variantes anteriores.” Os Emirados Árabes Unidos aprovaram recentemente o uso emergencial de uma nova vacina de proteína recombinante fabricada pela Sinopharm, que será usada como dose de reforço, observa o relatório.

A nova vacina demonstrou uma capacidade imunológica melhorada contra a variante, “com um alto índice de segurança que permite uma produção rápida e fácil armazenamento e distribuição”, de acordo com o Ministério da Saúde do país.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.