Produtores rurais do Brasil mostram confiança no mercado chinês

Em visita à China a convite da COFCO INTL os produtores rurais se mostraram seguros de estreitamento nas relações com o país asiático

Quinze produtores rurais brasileiros foram para a China visitar o país a convite da COFCO INTL (China National Cereals, Oils and Foodstuffs Corporation). Lá, eles expressaram a segurança e a confiança que têm no mercado chinês e disseram que os seus consumidores deverão ver cada vez mais produtos agrícolas do Brasil no futuro.

Eduardo Zorzi, produtor rural no Mato Grosso e atual presidente da Coacen (a maior cooperativa agro do Mato Grosso, que produz principalmente soja e milho com seus 53 grupos familiares), visita o país asiático pela primeira vez desde que começou a cooperar com a COFCO INTL. “Eu não tinha noção do tamanho da China e da organização dos chineses. No Brasil a gente apenas vê e ouve, mas pisar na terra chinesa muda toda a percepção da pessoa. Eu estou realmente muito impressionado e emocionado pelo desenvolvimento e pela construção da China”.

José Carlos Dolphine, produtor rural que já está em sua segunda visita à China disse em entrevista à Xinhua que conheceu a China em 2005, quando Pequim ainda era uma cidade simples com muitas bicicletas na rua, mas que agora já está totalmente diferente, mais movimentadas e moderna. Ele ainda disse que essa viagem visa estreitar o relacionamento com a COFCO e buscar mais negócios no setor de grãos e fertilizantes.

De acordo com um relatório divulgado no início do ano pelo Ministério da Agricultura do Brasil, o volume de exportações de produtos agrícolas de 2018 atingiu US$ 101,69 bilhões, uma alta de 5,9% em relação a 2017, e a China foi o maior destino das exportações. Além disso, o Brasil se tornou a fonte principal de importação de soja da China no mesmo ano.

O atual presidente executivo da COFCO INTL, Chi Jingtao, disse que a COFCO quer que os produtores rurais brasileiros vejam com seus próprios olhos como a sua produção se transforma depois de chegar no país para servir aos consumidores chineses. Ele também expressou o desejo de ampliar a cooperação com o Brasil.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.