Hong Kong opõe-se à aprovação do Senado dos EUA da chamada “Lei da Autonomia de Hong Kong”

Porta-voz do governo pediu ao Congresso americano que pare imediatamente de interferir nos assuntos internos da Região

O governo da Região Administrativa Especial de Hong Kong (RAEHK) expressou na última sexta-feira forte oposição à aprovação da chamada “Lei da Autonomia de Hong Kong” pelo Senado dos EUA, segundo reportagem publicada na agência de notícias Xinhua.

Um porta-voz do governo pediu ao Congresso dos EUA que pare imediatamente de interferir nos assuntos internos da RAEHK e disse que a lei e as chamadas “sanções” são totalmente inaceitáveis e só prejudicarão as relações e os interesses comuns entre Hong Kong e os Estados Unidos.

Desde o retorno à pátria, Hong Kong vem exercendo “o povo de Hong Kong administra Hong Kong” e um alto grau de autonomia em estrita conformidade com a Lei Básica, explicou o porta-voz, enfatizando que o princípio de “um país, dois sistemas” tem sido implementado plenamente e com sucesso.

“O artigo 63 da Lei Básica prevê que o Departamento de Justiça do governo da RAEHK controla processos criminais, livres de qualquer interferência, e os promotores sempre cumprem esse dever constitucional de forma independente e profissional, sem medo ou condições”, disse o porta-voz.

“Quaisquer ‘sanções’ impostas pela lei não criarão uma obrigação para as instituições financeiras sob a lei de Hong Kong”, afirmou o porta-voz, instando o lado americano a agir de forma responsável ao abster-se de tomar medidas que possam afetar potencialmente as operações das instituições financeiras e o grande número de clientes que elas servem.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.