China está disposta a compartilhar tecnologia nuclear para uso pacífico

O país também espera maior colaboração de outras nações para desenvolver novas tecnologias

A China está disposta a cooperar com outros países para o uso pacífico da energia nuclear, compartilhando tecnologias de seu novo reator de terceira geração, que acaba de entrar em uso comercial, afirmou Xinh Ji, designer-chefe da tecnologia Hualong One, neste domingo.

A primeira unidade de energia nuclear usando Hualong One, um reator desenvolvido pela China, começou a gerar eletricidade para venda no sábado, na cidade de Fuqing. 

“Estamos dispostos a fornecer a outros países a tecnologia Hualong, incluindo componentes principais, treinamento de pessoal, bem como nossas experiências em cooperação global”, disse Xing em entrevista à Xinhua.

Ele acrescentou que a China espera uma cooperação mais ampla com outras nações no desenvolvimento de novas tecnologias de energia nuclear.

A potência asiática tem participado de organizações internacionais do setor, como a Agência Internacional de Energia Atômica, para promover intercâmbios tecnológicos internacionais, e também tem papel importante no ITER, o maior experimento de fusão nuclear do mundo. Além disso, trabalha com outros países para enfrentar desafios sobre a fonte de eletricidade.

Com 716 patentes nacionais e 65 internacionais, mais de 200 marcas registradas no exterior e 125 direitos autorais de software, o Hualong One é o modelo nacional chinês para o reator de terceira geração mais seguro e eficiente. O dispositivo tem vida útil de 60 anos e atende aos mais rigorosos padrões de segurança do mundo.

Segundo Xing, o núcleo do equipamento contém 177 conjuntos de combustível, mas o projeto ainda pode aumentar a potência da unidade e torná-la mais segura.

O reator já possui sistemas de segurança ativa e passiva. O sistema passivo depende de forças naturais, como a gravidade, e fornece maior proteção para a usina quando todos os abastecimentos energéticos são desligados em emergências, disse Xing.

Ele afirmou que o Hualing One foi desenvolvido para resistir a danos do equivalente a um terremoto de magnitude 9 ou ao impacto de uma aeronave. O reator também pode evitar vazamentos nucleares e reiniciar rapidamente as operações, mesmo em circunstâncias extremas como as de Fukushima, no Japão, em 2011, onde um terremoto foi seguido de um tsunami.

Xing destacou que a energia nuclear é considerada uma fonte limpa, mostrando o compromisso da China com o desenvolvimento verde. A unidade deve gerar quase 10 bilhões de kWh de eletricidade a cada ano, reduzindo as emissões de dióxido de carbono em 8,16 milhões de toneladas anuais, de acordo com dados da China National Nuclear Corporation.

O Hualong One também estendeu o intervalo de reabastecimento para 18 meses, tornando-o mais econômico.

Xing mencionou que a China obteve resultados frutíferos na pesquisa de tecnologia de energia nuclear de quarta geração para uso comercial. O país fez avanços nas tecnologias de reatores de nêutrons rápidos e de alta temperatura refrigerados a gás.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.