China prepara 100.000 patos para combater enxames de gafanhotos no Paquistão

Ave come cerca de 200 insetos por dia e é mais eficaz do que pesticidas

O Paquistão declarou no início de fevereiro situação de emergência diante da invasão de gafanhotos, a pior em duas décadas. Milhões de insetos também já causam devastações no leste da África.

Para combater a praga, o governo chinês anunciou o envio de uma equipe de especialistas para desenvolver “programas direcionados” contra os gafanhotos. A China se prepara para enviar 100 mil patos para ajudar a combater os enxames, responsáveis por destruir e devorar plantações inteiras.

Especialistas em agricultura chineses dizem que um único pato pode comer mais de 200 gafanhotos por dia e ser mais eficaz do que pesticidas. Lu Lizhi, pesquisador sênior da Academia de Ciências Agrícolas de Zhejiang, descreve os patos como “armas biológicas”. Ele conta que, enquanto as galinhas podem comer cerca de 70 gafanhotos em um dia, um pato pode devorar mais de três vezes esse número. “Os patos gostam de ficar em grupos, o que torna mais fácil de gerenciá-los, se comparados às galinhas”, diz Lu.

De acordo com a ONU, a temporada de ciclones de 2018-19, que trouxe fortes chuvas à Península Arábica, permitiu pelo menos três gerações de “procriação sem precedentes” que não foram detectadas. Desde então, os enxames se espalharam pelo sul da Ásia e pela África Oriental.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.