Especialistas do Brasil e da China discutem governança do país asiático

Evento contou com a participação do embaixador Yang Wanming e dos professores Zhang Weiwei e Evandro Menezes de Carvalho

O Núcleo de Estudos Brasil-China da FGV Direito Rio, em parceria com a Academy of Contemporary China and World Studies, realizou o seminário “Governança da China”, que contou com a participação do embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, do professor Zhang Weiwei e do professor da FGV Direito Rio e da Universidade Federal Fluminense, Evandro Menezes de Carvalho.

O evento online ainda contou com a participação dos professores Zhou Zhiwei, vice-diretor do Centro de Estudos Brasileiros da CASS-China; Wang Lei, diretor do Center for BRICS Cooperation Studies da Universidade Normal de Pequim; Javier Vadell, do Programa de Relações Internacionais da PUC-Minas; e Mariana Burger, doutora em Relações Internacionais pela PUC-Minas.

O embaixador Wanming abriu a conversa ressaltando as iniciativas do Partido Comunista da China (PCCh) para “criar um novo tipo de relações internacionais e uma comunidade de futuro compartilhado”.

“Segundo o presidente Xi, ao se preocupar com o futuro, o Partido se fundamenta nos valores comuns de toda a humanidade: paz, desenvolvimento, equidade, justiça, democracia e liberdade. E permanece fiel à cooperação, e não ao confronto, à abertura e não ao isolamento, além de combater a hegemonia e a política de força”, destacou o embaixador.

Em seguida, o professor Evandro Menezes de Carvalho afirmou que o objetivo do encontro foi discutir o modelo de governança da China, que tem dado mostras de sua efetividade na construção de uma sociedade moderadamente próspera para os chineses.

“Em muitas democracias ocidentais que se dizem republicanas, o exercício do poder tem sido convertido para beneficiar poucos e não ao conjunto da população. O povo dessas democracias é excluído materialmente da riqueza do país”, ele explicou.

Carvalho conclui: “O estudo da governança da China abre-nos a possibilidade de discutir diversos temas, que precisam ser discutidos desde uma perspectiva comparada para melhorar ainda mais o nosso diálogo intercultural. A China pode dar importantes contribuições para o debate sobre estado de direito, participação popular e sobre a república”.

O professor Zhang Weiwei apresentou um panorama da história do Partido Comunista Chinês, mostrando os aprendizados e evoluções da governança do país asiático nas últimas décadas.

Weiwei é diretor do Instituto da China na Universidade Fudan e membro do Conselho Nacional de Think Tanks da China. Ele é autor do best-seller “China Trilogy” (publicado pela Shanghai People’s Press) de Zhongguo Chudong (China Ripple), Zhongguo Zhenhan (China Wave) e Zhongguo Chaoyue (China Horizon). As edições em inglês dos dois últimos títulos foram publicadas pela World Century, de New Jersey, em 2012 e 2016, respectivamente

“Devemos liberar as novas ideias, abraçar as novidades e aprender com os outros. No processo de reforma da China, aprendemos muito com os norte-americanos e no futuro, vamos continuar aprendendo com todos”, declarou Weiwei. “Durante esse processo de aprendizagem, devemos manter uma autonomia e um espaço político, ou seja, escolher e depois aprender. Acho que o Governo americano também pode tirar diversas lições com a experiência chinesa.”

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.