Xiaomi entra para lista de proibições dos EUA

Após medida do governo, investidores americanos não poderão comprar ações da empresa chinesa

O governo dos Estados Unidos adicionou a chinesa Xiaomi na lista de proibições comerciais do Pentágono e do Departamento de Defesa na última quinta-feira. A denúncia é que a empresa tem relações com o exército da China.

Em novembro, o presidente estadunidense Donald Trump aprovou uma ordem que impede os americanos de investirem em companhias da lista militar. Isso quer dizer que os acionistas dos Estados Unidos devem encerrar suas relações com a empresa.

Em 2020, a Xiaomi superou a Apple e se tornou a segunda maior fabricante de smartphones do mundo, ficando atrás da líder coreana Samsung e da chinesa Huawei.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.