Xi Jinping e Trump concordam em não impor novas tarifas adicionais

Em jantar em Buenos Aires, os dois líderes também trataram questões como as relações bilaterais sino-americanas

O presidente chinês, Xi Jinping, e seu homólogo estadunidense, Donald Trump, tiveram uma “reunião bem-sucedida” em Buenos Aires, na Argentina, tendo chegado a um consenso e concordado em não impor novas tarifas adicionais. Os dois se encontraram em um jantar após a 13ª Cúpula de Líderes do G20 e trocaram opiniões sobre as relações China-EUA e assuntos de interesse comum.

De acordo com Xi, as relações saudáveis entre a China e os Estados Unidos estão de acordo com os interesses fundamentais dos dois povos e com as expectativas da comunidade internacional. O chefe de Estado chinês ainda pediu que ambos os países abordem o desenvolvimento das relações bilaterais partindo de uma perspectiva geral e que promovam o desenvolvimento saudável, estável e a longo prazo dessas relações.

Trump, concordou com Xi, falando que os laços sino-americanos são muito especiais e importantes e que uma boa relação de cooperação é benéfico para os interesses dos dois países e do resto do mundo, uma vez que ambos têm influência significativa. O presidente estadunidense ainda acrescentou que os EUA estão prontos para aumentar a cooperação com a China por meio de consultas e para buscar soluções mutuamente benéficas para os seus problemas.

Sobre as questões econômicas e comerciais, Xi afirmou que é normal que os países apresentem divergências, mas que é fundamental que ambos consigam gerir essas diferenças de maneira adequada, procurando uma solução de respeito, justiça e benefício mútuo. Eles concordaram em não impor novas tarifas adicionais e deram instruções a suas equipes para que as negociações para a eliminação de todas as tarifas adicionais sejam intensificadas.

Xi ainda reiterou a posição da China sobre a questão de Taiwan e o lado norte-americano prometeu continuar aderindo à política de Uma Só China. Também foram trocadas opiniões a respeito da situação na península coreana e outras importantes questões internacionais e regionais.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.