Xi faz proposta de três pontos sobre laços China-Alemanha em reunião com Merkel

O presidente chinês afirmou que quer aprimorar a cooperação não apenas com a Alemanha, mas também com a União Europeia buscando resultados ganha-ganha

O presidente chinês, Xi Jinping, apresentou uma proposta de três pontos para o desenvolvimento das relações China-Alemanha durante a reunião que teve com a chanceler alemã Angela Merkel em Paris, à margem de um fórum de governança co-patrocinado pela China e pela França. “A cooperação prática China-Alemanha manteve um ímpeto de desenvolvimento saudável, apesar do aumento da volatilidade e da incerteza na atual situação internacional”, disse Xi.

A China foi, pelo terceiro ano consecutivo, a maior parceira comercial da Alemanha em 2018, com um aumento de 140% no investimento real de empresas alemãs no país asiático. Xi afirmou que o país estabeleceu seus objetivos e ideias de que seguirá aprofundando a reforma, expandindo a abertura e promovendo o desenvolvimento econômico de qualidade.

Além de ressaltar que a China está comprometida com a abertura, Xi também disse que o país é sincero no impulso e na expansão de sua cooperação com a Alemanha e a União Europeia (UE). A China também se dispõe a unir forças com a Alemanha para continuar expandindo e consolidando as bases da cooperação China-Alemanha, a fim de gerar mais benefícios para os dois povos, segundo ele.

Depois de lembrar que Merkel repetiu diversas vezes que acreditava na cooperação ganha-ganha, Xi afirmou que a China também considera a cooperação conjunta, com benefícios mútuos e resultados conde todos ganham, como a única opção correta para resolver os problemas globais. “Nas atuais circunstâncias, é importante fortalecer as cooperações China-Alemanha e China-UE”, disse ele lembrando que apresentou uma proposta de três pontos para o desenvolvimento da próxima etapa dos laços China-Alemanha.

O primeiro ponto diz que os dois países devem aprofundar a sua cooperação bilateral para dar o exemplo da cooperação ganha-ganha para o mundo. Xi assinalou que a China e a Alemanha não são rivais nem adversários e que a cooperação para resultados ganha-ganha é a espinha dorsal dos laços entre esses países. Ele pediu que isso seja estimulado em áreas como inteligência artificial, condução autônoma, novos materiais, novas energias, ciências da vida e cidades inteligentes.

No segundo ponto, Xi propôs que os dois países assumissem a liderança na cooperação China-UE para injetar mais estabilidade no mundo. Ele disse considerar a Europa uma força importante na promoção de um mundo multipolarizado e que sempre defendeu o caminho de unidade e auto-aperfeiçoamento do continente.

“A China e a Europa são suas forças de estabilidade importantes e duas grandes economias do mundo, de modo que o forte crescimento de suas relações beneficia o interesse de ambas as partes”, disse o presidente. Ele ainda acrescentou que espera que a Alemanha exerça influência para ajudar a UE a se concentrar na cooperação e evitar a ruptura.

O terceiro ponto, por sua vez, fala sobre o dever dos dois países em promover a governança global para salvaguardar o multilateralismo. De acordo com Xi, a China está disposta a trabalhar com a Alemanha para persistir no sistema internacional, com as Nações Unidas como núcleo. Ele também pediu que os dois lados aumentem a coordenação dentro do quadro do G20 para fazer contribuições maiores para melhorar a governança econômica global.

Merkel, por sua vez, disse que a Alemanha e a China têm vários interesses em comum, com um saudável desenvolvimento dos laços bilaterais nos últimos anos e uma estreita comunicação e cooperação em todos os níveis e em diversos campos. O país europeu, segundo a chanceler, quer aprofundar suas relações econômicas e comerciais com a China na era digital e está disposta a participar ativamente do segundo Fórum do Cinturão e Rota para a Cooperação Internacional.

A Alemanha espera aproveitar as oportunidades de mercado geradas pela maior abertura da China e oferecer um ambiente de mercado justo e favorável para as empresas chinesas investirem e iniciarem negócios na Alemanha, pelo que ela disse. Merkel ainda assinalou que o seu país está empenhado em promover as relações de cooperação UE-China e que apoia os esforços conjuntos da UE e da China para proteger o multilateralismo.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.