Xi diz que China busca alcançar prosperidade conjunta com o Brasil

A declaração do presidente chinês foi feita durante uma reunião com Bolsonaro na 11ª Cúpula do Brics, em Brasília

Durante a Cúpula dos Brics, que aconteceu em Brasília nesta semana, o presidente chinês, Xi Jinping se reuniu com o seu homônimo brasileiro, Jair Bolsonaro, e disse que a China confia plenamente na cooperação com o Brasil e que está disposta a alcançar a prosperidade comum com o país sul-americano. Ele mencionou a visita de Estado que Bolsonaro fez à China em outubro e disse que o consenso atingido pelos dois lados está sendo ativamente implementado.

Na 2ª Exposição Internacional de Importação da China (CIIE, em inglês), encerrada recentemente, o volume de transação dos negócios brasileiros cresceu 3,6 vezes em comparação com a 1ª CIIE, no ano passado, ressaltou Xi, classificando os resultados como satisfatórios. “Como os maiores países de mercado emergente nos hemisférios oriental e ocidental, respectivamente, a China e o Brasil compartilham amplos interesses comuns”, disse o chefe de Estado chinês.

Xi expressou a vontade para trabalhar ao lado de Bolsonaro para manter e guiar adequadamente a direção do desenvolvimento das relações China-Brasil. Ele enfatizou que a China e o Brasil são ambos os grandes países e devem manter foco estratégico, aderir ao respeito mútuo, tratar-se um ao outro como iguais, fortalecer os intercâmbios e cimentar a confiança mútua.

Ele pediu que os dois lados abram os mercados um ao outro e explorem meios para estabelecer canais de fornecimento de longo prazo, estáveis e diretos para os produtos básicos, incluindo produtos agrícolas, minério de ferro e petróleo bruto. A China apoia suas empresas a participar ativamente da construção de infraestrutura no Brasil para promover a conectividade, indicou Xi.

Entre os pedidos de Xi, está o de que ambos os lados aumentem a cooperação em áreas como economia digital, comunicações de nova geração, ciência de materiais e biotecnologia, desejando outro lançamento bem-sucedido do Satélite de Recursos da Terra China-Brasil no próximo futuro, e o de que os dois países promovam conjuntamente a cooperação de acompanhamento.

Xi pediu que ambos os lados aumentem a cooperação em áreas como economia digital, comunicações de nova geração, ciência de materiais e biotecnologia, desejando outro lançamento bem-sucedido do Satélite de Recursos da Terra China-Brasil no próximo futuro, e solicitando que os dois lados promovam conjuntamente a cooperação de acompanhamento. Ele também pediu que ambos os lados expandam os intercâmbios culturais e interpessoais e facilitem os intercâmbios interpessoais.

O presidente chinês disse que ambos os lados devem trabalhar juntos para promover os intercâmbios e a cooperação integrais entre a China e os países latino-americanos, defender o multilateralismo, construir uma economia mundial aberta, e salvaguardar os direitos de desenvolvimento e interesses legítimos dos mercados emergentes. Ele ainda acrescentou que a China apoia o Brasil na organização da próxima Cúpula do BRICS e está disposta a trabalhar com todas as partes para tornar a cúpula um sucesso.

Bolsonaro, por sua vez, disse ter instruído os departamentos relevantes do governo a implementar o mais cedo possível o consenso atingido durante sua visita de Estado à China. Ele observou que a China é um importante grande país e a maior parceira comercial do Brasil, e disse que o povo brasileiro mantém admiração, respeito e sentimentos amistosos em direção ao povo chinês, e que a cooperação Brasil-China tem crescente significado para o desenvolvimento futuro do Brasil.

Ele também disse que seu país dá boas-vindas ao investimento chinês para o Brasil e mais forte cooperação na construção da infraestrutura, minério de ferro e energia, incluindo petróleo e gás. “O lado brasileiro valoriza as importantes oportunidades trazidas pela abertura do mercado chinês”, disse Bolsonaro, expressando a esperança de expandir o comércio bilateral e promover a exportação de mais produtos agrícolas brasileiros para a China.

O Brasil sente-se agradecido pela confiança e amizade da China, disse Bolsonaro, acrescentando que a partir de uma perspectiva de longo prazo, o Brasil dá importância ao fortalecimento da cooperação com a China em uma ampla variedade de áreas, para aprofundar sua amizade tradicional e beneficiar os dois povos.

Depois da reunião, os dois chefes de Estado se reuniram com a imprensa e testemunharam a troca de vários documentos sobre a cooperação bilateral.

Fonte: Xinhua

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.