Xi conversa com Biden sobre situação na Ucrânia

Líderes fizeram uma chamada de vídeo, para dialogar sobre relações bilaterais

Créditos: Xinhua/Liu Bin

O presidente chinês, Xi Jinping, realizou uma chamada de vídeo com o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, a pedido do líder norte-americano, na sexta-feira. Os dois presidentes tiveram uma sincera e profunda troca de opiniões sobre as relações China-EUA, a situação na Ucrânia e outras questões de interesse comum.

Biden disse que os Estados Unidos e a China fizeram a importante escolha de emitir o Comunicado de Xangai. Cinquenta anos depois, a relação EUA-China se encontra de novo em um momento crítico. O desenvolvimento desta relação formará o mundo no século 21.

O presidente reiterou que os Estados Unidos não buscam uma nova Guerra Fria com a China, não visam mudar o sistema do país e não apoiam a “independência de Taiwan”, sem nenhuma intenção de buscar um conflito com a China.

“Os Estados Unidos estão prontos para ter diálogo sincero e cooperação mais estreita, permanecer comprometidos com a política de Uma Só China, e manejar eficazmente a competição e as discordâncias para garantir o crescimento estável da relação”, disse Biden.

Observando que o cenário internacional tem experimentado grandes desenvolvimentos desde a primeira reunião virtual, em novembro do ano passado, Xi disse que a tendência prevalecente de paz e desenvolvimento está enfrentando sérios desafios e que o mundo não está tranquilo nem estável.

Como membros permanentes do Conselho de Segurança das Nações Unidas e as duas principais economias do mundo, a China e os Estados Unidos devem não só guiar suas relações a avançar no caminho certo, mas também assumir sua parte de responsabilidades internacionais e trabalhar pela paz e tranquilidade mundiais, disse Xi.

Manejar mal a questão de Taiwan terá um impacto disruptivo nos laços bilaterais, disse Xi. “A China espera que os Estados Unidos deem atenção devida a esta questão”, afirmou. “O importante é manter essas diferenças sob controle. Uma relação estavelmente crescente é de interesse de ambos os lados”, acrescentou.

As duas partes trocaram opiniões sobre a situação na Ucrânia. Observando que a China apresentou uma iniciativa de seis pontos sobre a situação humanitária, Xi disse que o país está disposto a fornecer mais assistência para os países afetados.

“Todos os lados precisam apoiar conjuntamente a Rússia e a Ucrânia a realizar diálogo e negociação que produzirão resultados e conduzirão à paz”, ele afirmou , acrescentando que os Estados Unidos e a OTAN também devem ter diálogo com a Rússia para abordar o ponto crucial da crise e aliviar as preocupações de segurança tanto da Rússia quanto da Ucrânia.

“Como dizem dois ditados chineses, ‘são necessárias duas mãos para bater palmas’ e ‘quem amarrou o sino ao tigre deve desamarrá-lo’. É imperativo que as partes envolvidas demonstrem vontade política e encontrem uma solução adequada devido às necessidades imediatas e de longo prazo”, disse Xi.

Concordando que esta chamada de vídeo é construtiva, os dois presidentes guiaram suas equipes a seguir prontamente e tomar ações concretas para pôr as relações China-EUA de volta no trilho de desenvolvimento estável e a fazer esforços respectivos para a solução adequada da crise da Ucrânia.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.