Velocidade do vento na superfície da Terra cresce na última década

Uma equipe de pesquisa da China descobriu que, por volta de 2010, o velocidade dos ventos na superfície do planeta passou a crescer, pela primeira vez desde a década de 1980

Pesquisadores chineses da Faculdade de Ciência e Engenharia Ambiental da Universidade de Ciência e Tecnologia do Sul descobriram que a velocidade média mundial do vento na superfície da Terra tem aumentado desde 2010, de acordo com um estudo publicado recentemente no periódico Nature Climate Change. 

A velocidade média do vento pode afetar fortemente a geração de energia eólica, sendo que o planeta vinha sofrendo com uma queda na velocidade média mundial do vento na superfície da Terra desde a década de 1980. Com essa redução, a indústria da energia eólica vinha sendo ameaçada, o que seria desastroso, ainda mais num momento em que os povos buscam alternativas sustentáveis e renováveis de geração de energia.

A equipe de pesquisa utilizou dados provenientes de todo o mundo e descobriu que a tendência de redução na velocidade média do vento na superfície se inverteu por volta de 2010, e que as velocidades globais do vento sobre a Terra se recuperaram. Os resultados mostraram que a taxa recente de crescimento na velocidade média mundial do vento na superfície foi o triplo da taxa de diminuição antes de 2010, e que as mudanças mais marcantes aconteceram na América do Norte, Europa e Ásia.

Além disso, os cientistas analisaram que as variações do vento sobre a superfície terrestre desta década provavelmente foram determinadas pelas circulações oceânicas e atmosféricas em grande escala, e não pelo crescimento da vegetação ou a urbanização. Os pesquisadores previram ainda que, se o aumento detectado persistir durante outra década, a energia eólica aumentaria 37%, para 3,3 milhões de kWh até 2024.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.