Veículo lunar da China anda mais de 284 m no lado oculto da Lua

O Yutu-2 está desde janeiro explorando esse território, e a China espera que essa missão da Chang’e-4 facilite grandes descobertas

O veículo lunar chinês Yutu-2 já percorreu 284,66 m pela superfície do lado oculto da Lua para realizar sondagens científicas no território até então inexplorado. Tanto o módulo de pouso como o veículo explorador da sonda Chang’e-4 entraram no fim da última semana em modo inativo para passar mais uma noite lunar, segundo informações do Centro de Exploração Lunar e Programa Espacial da Administração Nacional Aeroespacial da China.

A sonda Chang’e-4 da China, lançada em 8 de dezembro de 2018, fez o primeiro pouso suave na Cratera Von Karman, na bacia do Polo Sul-Aitken, no lado oculto da Lua, em 3 de janeiro deste ano. Um dia lunar equivale a 14 dias na Terra e uma noite lunar dura o mesmo, e a sonda Chang’e-4 passa a modo inativo durante a noite lunar devido à falta de energia solar.

Durante o nono dia lunar da sonda na Lua, os instrumentos científicos no pousador e no explorador funcionaram bem e um novo pacote de dados de detecção científica, de 2,9 GB, foi enviado para a principal equipe de pesquisa para análise.

Graças ao efeito de trava gravitacional, o ciclo de revolução da Lua é igual ao de rotação, o que faz com que, a partir da Terra, o seu lado visível sempre seja o mesmo. O lado oculto da Lua conta com características únicas e os cientistas esperam que a sonda Chang’e-4 possa facilitar grandes descobertas.

Entre as tarefas científicas da missão Chang’e-4 estão a observação astronômica de rádio de baixa frequência, a pesquisa sobre o terreno e os relevos, a detecção da composição mineral e a estrutura da superfície lunar de pouca profundidade, e a medição da radiação de nêutrons e átomos neutros.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.