Universidade americana revela uso de dados pessoais por agência de imigração nos EUA

Oficiais rastreiam os movimentos de 3 em cada 4 motoristas no país, diz estudo

White House / Casa Branca / US/ USA/ Estados Unidos

Créditos: Xinhua/Liu Jie

O Centro de Direito da Universidade de Georgetown publicou uma pesquisa sobre o uso de dados pessoais da população dos Estados Unidos feito pela agência de imigração e alfândega no país (ICE, em inglês). De acordo com os resultados, os oficiais têm acesso aos dados da carteira de motorista e rastreiam os movimentos dos motoristas nas cidades onde vivem de 3 em cada 4 adultos.

Além disso, a ICE digitalizou as fotos da carteira de motorista de 1 em cada 3 adultos e conseguiu localizar 3 em cada 4 adultos por meio de seus registros de serviços públicos. A agência, “muitas vezes sem qualquer supervisão judicial, legislativa ou pública, acessou conjuntos de dados contendo registros pessoais detalhados sobre a grande maioria das pessoas nos Estados Unidos”, diz o relatório.

O estudo foi realizado nos últimos dois anos com base em solicitações da Lei de Acesso à Informação e uma revisão abrangente dos gastos da ICE.” O relatório pede ao Congresso que investigue e supervisione a vigilância da ICE e oferece às comunidades estaduais e locais um conjunto de sugestões concretas para desmantelar essa rede de vigilância”, complementa o texto.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.