Turnê mundial de monge Dashan passa por São Paulo

O artista falou sobre a importância de levar a sua arte para o mundo como uma forma de unir o Oriente e o Ocidente

A cidade de São Paulo recebeu a exposição de pinturas e caligrafias do monge chinês Dashan, também conhecido como Zisong Xuanzhu (Mestre dos Pavilhões dos Pinheiros Lilás) no Centro Cultural do Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo entre os dias 9 e 15 de janeiro. Batizada de “A Arte de Dashan: A Arte de uma Era Espiritual Ilumina Todas as Coisas Vivas”, a mostra conta com 48 obras produzidas nos últimos 10 anos e o próprio artista veio ao Brasil para participar da sua abertura.

Ao falar sobre suas inspirações e sua trajetória como artista, Dachan ressaltou que a sua afinidade com as artes e a observação das coisas veio desde a sua infância e que a essência de suas obras vem da interiorização das coisas. “A minha arte expressa a conexão de várias coisas, vários sentimentos e várias percepções. É isso que eu quero passar para as pessoas, quero que elas, ao sentir isso, possam se conectar a outro mundo”.

Obra do monge Dashan

A curadora da exposição, Astrid Narguet, falou um pouco sobre como a arte do monge Dashan se conecta com a natureza e a energia vital natural. ” As obras dele são interessantes para tanta gente porque não são sobre nada concreto, são sobre isso, sentir o mundo”.

Em turnê mundial, a mostra já passou por diversos países, como Japão, Tailândia, Arábia Saudita, Índia, Alemanha, Rússia, Itália e Inglaterra. Depois de passar pelo Brasil, a mostra seguiu rumo a África do Sul. Para Dashan, esse ponto de contato é muito importante, pois é a união do Oriente com o Ocidente. “A gente tem a confiança de levar isso para o mundo com a intenção de acreditar que a arte pode despertar as pessoas, trazer afinidades. Essa arte é uma arte oriental, mas não pertence à China ou ao Oriente, ela pertence ao mundo, ao Universo.”

Obra do monge Dashan

Astrid, por sua vez, ressaltou que o mundo está passando por um momento de muita violência e que a arte de Dashan simboliza a esperança. “Nós acreditamos que o Ocidente e a Ásia devem estar juntos, como um prelúdio de uma nova civilização, então achamos que a cultura asiática, junto da cultura ocidental, vai trazer uma nova esperança. Apreciar a obra de Dashan e ver essa união do Ocidente com o Oriente pode ajudar as pessoas a ter uma visão do futuro.”

Por Victoria Amorim

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.