“Turismo vermelho” cresce enquanto PCCh celebra centenário

Busca por passeis a locais históricos aumentou em 375% em relação a 2019

O turismo vermelho, que se refere à visita a locais históricos com um legado revolucionário moderno, se tornou a principal escolha de muitos turistas chineses, em meio à recuperação do mercado interno após a contenção da pandemia de Covid-19.

Este ano marca o 100º aniversário do Partido Comunista da China (PCCh). De acordo com um relatório divulgado pela plataforma de reservas de viagens online Ctrip, durante o feriado de 1º de maio, as pesquisas por “turismo vermelho” aumentaram 375% em comparação com o mesmo período em 2019.

Um relatório recente sobre o turismo vermelho feito pela plataforma TravelGo ainda indicou um número crescente de indivíduos mais jovens entre os turistas. Mais de 89% das pessoas que visitam locais revolucionários tinham menos de 40 anos, com os nascidos nas décadas de 1990 e 2000 respondendo por mais de 40% do total.

A crescente popularidade do turismo vermelho entre os jovens pode ser parcialmente atribuída à promoção de produtos turísticos mais criativos, muitos dos quais empregam novas tecnologias, como inteligência artificial e realidade virtual.

“O turismo vermelho não se trata mais apenas de visitar locais históricos e museus. Em vez disso, ele agora é projetado para atender aos interesses dos jovens, destacando uma experiência imersiva ou oferecendo cenários de viagem no tempo”, disse Xu Yongde, funcionário de um local revolucionário na província de Guizhou, no sudoeste da China.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.