Três novos programas com células-tronco são lançados na China

Os novos programas são focados em tratamentos para degeneração pigmentar da retina, disfunção ovariana e aderências intrauterinas que afetam a saúde da mulher

Três programas de pesquisa clínica com células-tronco para tratar graves doenças oculares e ginecológicas serão lançados pela Academia Chinesa de Ciências. Eles se concentraram no tratamento da degeneração pigmentar da retina, da disfunção ovariana e das aderências intrauterinas que afetam a saúde da mulher.

Atualmente a China tem 35 programas de pesquisa clínica com células-tronco que foram registrados pela Comissão Nacional de Saúde e Administração Nacional de Produtos Médicos. Como as células-tronco embrionárias humanas podem de diferenciar em diversos tipos de células, que podem participar da substituição de células e regeneração dos tecidos, a pesquisa com esse tipo de célula se tornou uma faixa de fronteira chave no campo médico, mostrando uma boa perspectiva de desenvolvimento para o tratamento de algumas doenças difíceis.

O vice-presidente da ACC, Xiangli Bin, afirmou que o instituto de células-tronco e medicina regenerativa da academia liderou 10 programas de pesquisa do tipo, o que responde a quase um terço do total registrado no país. O instituto fez progressos em pesquisa clínica, transformação industrial e padronização.

A ACC, que é a mais alta instituição acadêmica em ciências naturais da China, ainda revelou os progressos dos programas com célula-tronco que estão em curso, para o tratamento do mal de Parkinson, da perda de visão e de lesão do joelho.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.