Tibet investe mais em proteção ecológica

Recursos foram destinados para projetos de restauração de mangues e construção de reservas naturais

A Região Autônoma do Tibet, no sudoeste da China, gastou US$ 3,1 bilhões em proteção ecológica de 2016 a 2020, anunciou o departamento ambiental da região chinesa. O montante foi mais que o dobro em relação aos gastos do período anterior de cinco anos.

Os recursos foram principalmente destinados para projetos de florestamento, proteção e restauração de mangues, construção de reservas naturais, proteção de florestas nativas, controle de areia, assim como proteção da vida selvagem.

O Planalto Qinghai-Tibet é conhecido como “o telhado do mundo”. Como o Tibet tem um importante papel na garantia da segurança ambiental da China, o governo atribui grande importância à proteção ambiental da região. Em 2020, a cobertura florestal da região atingiu 12,31%, e a cobertura abrangente de vegetação de pastagens naturais cresceu para 47%, segundo um livro branco divulgado no início deste ano.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.