Telescópio chinês FAST identifica 93 pulsares

A observação de pulsar pode ser usada para confirmar a existência de radiação gravitacional e buracos negros, entre outras coisas

O Radiotelescópio de Abertura Esférica de Quinhentos Metros (FAST, em inglês), o maior radiotelescópio de prato único do mundo, identificou 93 novos pulsares desde outubro de 2017, de acordo com um anúncio feito pela equipe de pesquisa no fim da última semana. Um pulsar é uma estrela de nêutrons giratória e altamente magnetizada, que emite dois feixes de luz de radiação eletromagnética.

Desde a primeira vez que a FAST informou ter encontrado pulsares, em outubro de 2017, o telescópio já havia detectado 132 estrelas que apresentaram características semelhantes a pulsares, e 93 delas foram confirmadas. Zhu Wenbai, pesquisador do Observatório Astronômico Nacional, disse que cerca de 3mil pulsares foram identificados por cientistas ao redor do mundo desde que o primeiro foi descoberto em 1967.

A observação de pulsar é uma tarefa importante para o FAST, que pode ser usada para confirmar a existência de radiação gravitacional e buracos negros e ajudar a resolver muitas outras questões na física.

Localizado em uma profunda e redonda depressão calcária de formação natural na Província de Guizhou, sudoeste da China, o FAST foi colocado em operação experimental em setembro de 2016. Ele também é responsável pela exploração de moléculas interestelares e sinais de comunicação interestelar.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.