Tanzanianos pretendem aprender chinês como porta de entrada para oportunidades de emprego

Instituto Confúcio ganhou espaço no pavilhão da Universidade de Dar es Salã

Créditos: Herman Emmanuel/Xinhua

Depois de visitar o Instituto Confúcio no pavilhão da Universidade de Dar es Salã (UDSM) na 46ª Feira Internacional de Dar es Salã (DITF) da Tanzânia, Lewis Kabuta acredita que nada o impedirá de aprender chinês.

Kabuta, um estudante de ensino médio de 14 anos que visitou a feira na capital comercial Dar es Salã na segunda-feira, disse que a melhor qualificação para conseguir emprego é aprender chinês.

“Depois de consultar funcionários do Instituto Confúcio no pavilhão da UDSM, percebi que aprender chinês funcionará como uma ponte para conseguir emprego em empresas chinesas que operam na Tanzânia”, disse ele à Xinhua em entrevista.

Kabuta está entre os mais de 100 visitantes do Instituto Confúcio no pavilhão da UDSM que demonstraram interesse em aprender chinês na primeira semana do 46º DITF, que acontece de 28 de junho a 13 de julho.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.