Suprimentos fabricados na China reforçam guerra mundial contra COVID-19

Para facilitar o fornecimento ao mercado externo, empresas chinesas estão intensificando os esforços para adquirir credenciais de importação.

Com a situação do coronavírus cada vez mais contida dentro da China, o país está se tornando um importante exportador e doador de materiais anti-epidêmicos para o restante do mundo. Máscaras faciais, termômetros infravermelhos e roupas de proteção estão entre os itens chineses mais procurados.

“Lembraremos para sempre da sincera ajuda oferecida por outros países e organizações internacionais à China, quando o país lutou contra a epidemia”, disse Li Xingqian, funcionário do Ministério do Comércio. “Ao superar suas próprias dificuldades, a China oferecerá assistência dentro de suas capacidades aos países que necessitarem, especialmente os países e regiões gravemente afetados pelo vírus.”

Para facilitar o fornecimento ao mercado externo, empresas e instituições chinesas estão intensificando os esforços para adquirir credenciais de importação. Pelo menos 10 produtores chineses de kits de detecção para testes de ácido nucleico e anticorpos também obtiveram aprovação para entrar no mercado da UE. Espera-se que os kits atendam às crescentes demandas clínicas para uma detecção rápida e precisa do vírus e facilitem as medidas de quarentena.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.