Solo permafrost na fonte de importantes rios chineses está se degradando

O permafrost, que é um solo permanentemente congelado, está encolhendo cerca de 6,5 cm a cada 10 anos

O permafrost, um tipo de solo permanentemente congelado que existe na região chinesa de Sanjiangyuan do Planalto Qinghai-Tibete, está diminuindo cerca de 6,5 cm a cada 10 anos, segundo o Centro Climático Provincial de Qinghai. O nome da região (Sanjiangyuan) significa literalmente “a fonte de três rios”, e se refere aos rios Yang-Tsé, Amarelo e Lancang (Mekong).

De acordo com o centro, que fez uma análise de dados que abrange o período entre 1961 e 2017, o permafrost da região já estava encolhendo, e esse processo de degradação acelerou a partir de 1983. Os registros anuais que mostram as datas de degelo do solo da região apontam que desde 1990 ele acontece cerca de 7,6 dias mais cedo a cada 10 anos. As datas de congelamento, por sua vez, foram adiadas em 3,2 dias a cada 10 anos desde 1961.

Li Hongmei, engenheira sênior do centro, afirmou que o aumento das temperaturas é a principal causa da degradação do permafrost no planalto, e que isso pode causar uma série de problemas, como a deterioração da vegetação, a redução de matéria orgânica no solo e custos mais altos na manutenção de infraestrutura.

Sanjiangyuan é uma área importante para a conservação da água e uma das principais barreiras de segurança ecológica na Ásia, sendo um dos focos do esforço ecológico da China. Especialistas em meteorologia sugerem que, para reduzir os impactos da degradação desse solo, deve-se intensificar as pesquisas sobre o assunto e aperfeiçoar as técnicas para conservar o permafrost no Planalto Qinghai-Tibete, para que se criem projetos de controle ecológico.


Fonte: Xinhua

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.