Seminário sobre a governança da China analisa discurso de Xi Jinping

Núcleo de Estudos Brasil-China da FGV e Academy of Contemporary World and China Studies discutiu sobre o tema durante evento

O Núcleo de Estudos Brasil-China da FGV-Direito Rio e a Academy of Contemporary World and China Studies (ACCWS) realizaram um seminário sobre a governança da China, com a participação do Embaixador chinês, Yang Wanming; do Prof. Zhang Weiwei, diretor do Instituto China da Universidade Fudan; Yu Yunquan, presidente da ACCWS; Prof. Evandro Carvalho, coordenador do Núcleo de Estudos Brasil-China da FGV-Direito Rio e editor executivo-chefe de China Hoje, e os professores Zhou Zhiwei, Wang Lei, Javier Vadell e Mariana Burger.

Segundo o embaixador Yang Wanming, o discurso do presidente Xi Jinping no dia 1° de julho constitui uma perspectiva respeitada para entender a governança do Partido Comunista da China e, portanto, despertou grande atenção no Brasil e comunidade internacional. A China e o Brasil são as duas maiores nações em desenvolvimento nos hemisférios Oriental e Ocidental. Diante das transformações sem precedentes e da pandemia do século, ambos os países enfrentam as mesmas missões de promover a modernização e o crescimento, melhorar o bem-estar social e responder aos desafios globais. A China está disposta a fortalecer o intercâmbio com todos os setores da sociedade brasileira. Vamos compartilhar experiências em governança e construir uma comunidade de futuro compartilhado para a humanidade, ele acrescentou.

Segundo o professor Evandro Carvalho, o modelo de governança da China tem dado sinais de sua efetividade na construção de uma sociedade moderadamente próspera para os chineses. O formato chinês tem as suas características que se desenvolveram a partir de sua realidade interna e circunstâncias externas. O seu estudo pode ser uma fonte de novas ideias e experiências, que se não são aplicáveis integralmente em outros países, servirem para uma reflexão aprofundada sobre as nossas próprias realidades.

O professor Zhang Weiwei explicou o importante papel da governança nacional no desenvolvimento da China com uma grande quantidade de dados e fatos precisos. Ele analisou as razões, vantagens e características por trás do sucesso da governança da China nas três dimensões da política, economia e sociedade.

Com base na análise comparativa dos modelos políticos chineses e ocidentais, sistemas eleitorais e desenvolvimento econômico e social, destaca-se que o sucesso da governança da China decorre do fato de que o Partido Comunista da China sempre representa os interesses do povo, coloca a população em primeiro lugar, insiste em buscar a verdade nos fatos, emancipando a mente, sendo corajoso para reformar e inovar, progredindo, promovendo “democracia consultiva”, “seleção e uso de talentos” e “economia mista” traçando um caminho correto que se adapta às condições da China.

Zhou Zhiwei disse em seu discurso que a eficácia da governança nacional é um critério importante para avaliar se o partido no poder de um país é eficiente. O sucesso da governança da China se deve ao fato de que a China pode identificar e resolver as suas principais contradições sociais em vários períodos. A China também aprende com os outros países, tanto os desenvolvidos e quanto os em desenvolvimento.

Segundo Javier Vadell, não podemos falar mais só de relações internacionais sem mencionar as relações inter-civilizatórias que se superpõem e que precisam de um novo pacto comum de convivência e respeito mútuo. Na atual crise do multilateralismo e da globalização neoliberal, é imperioso para os países do Sul Global, em geral, e para o Brasil em particular compreender as características da governança da China, não só pela experiência única de desenvolvimento nacional e popular no país mais populoso do mundo, mas também em relação a sua projeção internacional e a sua ação diplomática.

Wang Lei disse que a proposta de modernização do sistema de governança nacional e das capacidades de governança é um grande salto no conceito de governança nacional, refletindo a qualidade e a atualização do desenvolvimento social da China e compreendendo com precisão o contexto do desenvolvimento social da China. A governança da China sempre presta atenção e valoriza o povo desde os tempos antigos. O ser humano desempenha um papel extremamente importante na modernização do sistema de governança nacional e das capacidades de governança da China.

Segundo a Mariana Burger, existem muitos mal-entendidos sobre o modelo de governança da China no mundo. Na verdade, o modelo da China é um bom exemplo, que pode ser uma referência para outros países. O povo brasileiro tem menos conhecimento sobre a governança da China e está ansioso por obter mais informações relevantes para aprofundar seu conhecimento sobre a China.

No fim, o presidente de ACCWS, Yu Yunquan, fez um resumo dos discursos. Segundo ele, os think tanks desempenham um papel importante no fortalecimento na troca de experiências e compartilhamento de conhecimento entre os países. Em recentes discussões e intercâmbios com think tanks estrangeiros, especialistas de todo o mundo sempre falam sobre o discurso do Xi Jinping na celebração do 100º aniversário da fundação do Partido Comunista da China e o seu discurso na cúpula entre o Partido Comunista da China e líderes mundiais.

Os valores referidos tais como: paz, desenvolvimento, equidade, justiça, democracia e liberdade, são impressionantes. O PCCh continua a promover a construção de uma comunidade de futuro compartilhado para a humanidade e adotar o pensamento centrado no povo. “Espero que no futuro a China e o Brasil fortaleçam ainda mais o intercâmbio das experiências sobre governança nacional. A ACCWS fará melhor o sanção de think tank, organizará mais seminários desse tipo e impulsionará o fortalecimento do intercâmbio e aprendizagem mútua de chineses e estrangeiros”, ele acrescentou.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.