São Francisco homenageia legado ferroviário dos trabalhadores chineses

A cidade estadunidense declarou o dia 10 de maio como Dia dos Trabalhadores da Ferrovia Chinesa Transcontinental, para celebrar os 150 anos da sua construção

A cidade de São Francisco, nos Estados Unidos, declarou que o dia 10 de maio como o Dia dos Trabalhadores da Ferrovia Chinesa Transcontinental como forma de comemorar o 150º aniversário da conclusão da Ferrovia Transcontinental Americana e homenagear os trabalhadores chineses e suas contribuições para a construção da ferrovia, que foi finalizada em 10 de maio de 1869.

“Em face da discriminação e salários injustos, os trabalhadores ferroviários chineses fizeram história ao construir uma das façanhas mais inovadoras de engenharia dos Estados Unidos, mas sua contribuição tem sido muitas vezes negligenciada ou minimizada”, disse Norman Yee, presidente do Conselho de Supervisores de São Francisco e patrocinador da resolução.

“Ao honrar o legado dos trabalhadores da Ferrovia Transcontinental, nós inspiramos as gerações futuras a continuar avançando os valores de proporcionar dignidade, igualdade de oportunidades, direitos civis e equidade aos trabalhadores em todos os lugares”, acrescentou ele.

Em 1862, o então presidente dos EUA, Abraham Lincoln, assinou a Lei Ferroviária do Pacífico, estabelecendo a Ferrovia Union Pacific para construir a oeste de Omaha, Nebraska, e a Ferrovia Central do Pacífico para construir a leste de Sacramento, no norte da Califórnia, para conectar o país. De acordo com a resolução, a construção da Ferrovia Transcontinental, originalmente conhecida como Ferrovia do Pacífico, durou por quase sete anos e se estendeu por aproximadamente de 3.200 km.

A construção da ferrovia dependia muito do trabalho humano e exigia milhares de trabalhadores. Segundo historiadores, que entre 12 mil e 20 mil trabalhadores chineses foram recrutados para a força de trabalho. Os chineses representavam 80% da força de trabalho ferroviária no oeste e quase 90% de toda a força de trabalho do Pacífico Central em 1867, e foram considerados indispensáveis para sua ética de trabalho e resistência, pelo que diz a resolução.

“Os trabalhadores ferroviários chineses assumiram as tarefas mais baixas e perigosas, foram pagos 30% menos do que seus colegas brancos sem provisão de moradia, ao contrário de seus colegas brancos”, disse Yee. Depois de maus tratos contínuos e duras condições de trabalho, os trabalhadores chineses organizaram uma greve contra a Ferrovia do Pacífico Central exigindo salários mais altos e dias de trabalho mais curtos, marcando uma das maiores greves de trabalho da era contra qualquer empregador.

Foi apenas nos últimos anos que as contribuições dos trabalhadores ferroviários chineses foram reconhecidas. Em 2014, o Departamento de Trabalho dos EUA introduziu os trabalhadores ferroviários chineses no Salão de Honra do Trabalho por suas contribuições e seus esforços organizados para lutar por salários justos e condições de trabalho seguras.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.