Revitalização das áreas rurais da China ganha novo impulso

Documento do governo central propõe modernização abrangente da agricultura

Os agricultores chineses aderem ao comércio eletrônico para incrementar as vendas de seus produtos e auferir melhores ganhos.

À medida que o impulso da reforma e abertura da China chega à sua quinta década, o país lança o documento Opiniões sobre a Implementação da Estratégia de Revitalização Rural, que mapeia o projeto de uma política para acelerar a modernização da agricultura e das áreas rurais dentro de um socialismo com características chinesas.

O documento convocou o partido inteiro e todos os setores do país a promover um avanço abrangente da agricultura. A revitalização rural trata não só de desenvolvimento econômico, mas envolve progresso político, cultural, social e ecológico do campo e de seus habitantes.

Segundo o Opiniões, por volta de 2020, a estrutura institucional e o sistema político irão ganhar forma à medida que o impulso de revitalização rural faça avanços importantes; por volta de 2035, a modernização da agricultura e das áreas rurais se tornará fundamentalmente uma realidade, com progressos decisivos; em 2050, as áreas rurais deverão ter uma agricultura forte, um belo meio ambiente e fazendeiros prósperos, com a revitalização rural plenamente alcançada.

Mudanças rurais

Quando o esforço de reforma e abertura da China foi iniciado há quatro décadas, a reforma do sistema econômico foi também levada adiante nas áreas rurais. Com base na propriedade coletiva da terra, foi introduzida no interior a gestão de contratos de responsabilidade por unidades familiares. A passagem para o modelo em que a indústria alimenta a agricultura e as cidades sustentam áreas rurais trouxe um rápido desenvolvimento do comércio, da indústria e dos transportes da área rural, que sofreu então grandes mudanças.

Quando os agricultores vieram em grande número para as cidades à procura de emprego, suas terras arrendadas ficaram subutilizadas. No entanto, o país não tomou de volta dos agricultores o direito às terras arrendadas, estendendo em vez disso o prazo do arrendamento, e incentivando-os a transferir a gestão do direito à terra. Com isso os agricultores viraram parceiros e trabalhadores agrícolas.

O Relatório de Desenvolvimento Rural da China de 2017, preparado pela Academia Chinesa de Ciências Sociais, lista as drásticas mudanças que ocorreram na economia e na sociedade rural da China nos últimos anos: a diminuição da disparidade regional, o avanço ordenado da reforma do sistema de direitos sobre propriedade coletiva, a diversificação dos empreendedores, a emergência de novos setores, atividades de negócios e modelos, o rápido desenvolvimento de novas e inovadoras instituições de financiamento rural, regras e convenções de aldeias para regulamentar os negócios públicos nas áreas rurais, que teve papel positivo em manter a ordem social rural e implementar políticas nacionais, e as imensas realizações na assistência médica rural e nas áreas de segurança social.

Tudo isso tem lançado os alicerces para a formação e implementação do plano de revitalização rural.

Modernização agrícola

Para desenvolver áreas rurais, a chave é a agricultura. Portanto, incentivar a agricultura e trazer benefícios aos produtores têm sido a prioridade da agenda de revitalização rural. Devem ser feitos esforços para cultivar setores sólidos, que então irão sustentar o programa de revitalização rural. Núcleos familiares e cooperativas de agricultores, ao lado de novos operadores de negócios como as grandes empresas agrícolas, podem desempenhar um papel importante na promoção do desenvolvimento industrial.

Áreas rurais por todo o país estão explorando maneiras de impulsionar o desenvolvimento rural. Em 2011, 18 especialistas agrícolas da vila de Houhou, em Xingyang, Província de Henan, fundaram a Cooperativa Agrícola Especializada Xintiandi, e montaram unidades de produção agrícola em 50 vilas de Xingyang, oferecendo a agricultores locais todo um pacote de serviços socializados, que envolvem o processo inteiro da produção de cereais. A cooperativa também tem parcerias com amis de 30 processadoras de grãos, 20 fábricas de ração e com a Henan Wanxi Pharmaceutical, o que assegura a compra em tempo hábil das colheitas de grãos dos agricultores.

Com 203 núcleos familiares participando no momento, a Cooperativa Xintiandi mobiliza 12 mil núcleos familiares em sete cidades e aldeias vizinhas para o plantio de novas espécies de trigo e milho, com uma produção anual de mais de 50 mil toneladas.

A vila de Dongwangzhuang, na cidade de Xigang, parte da cidade de Tengzhou, em Shandong, não foi dotada de boas condições para a agricultura. Muitos agricultores locais preferiram virar trabalhadores migrantes, deixando suas terras desatendidas.

Para promover o desenvolvimento agrícola local, a Cooperativa Tengzhou de Suprimentos e Marketing decidiu introduzir um modelo de curadoria para a partilha da terra: os agricultores locais tornaram-se acionistas de sua terra de 70 hectares, o Centro de Serviços Agrícolas de Xigang contribuiu com 420 mil yuans para o grupo de acionistas, e a coletividade da vila aderiu ao esquema acionário de terras não arrendadas da vila, terras recém-recuperadas e instalações agrícolas.

Além do dividendo mínimo garantido de 900 a 1.000 yuans por mu (cerca de 666 m²), os agricultores podem também obter dividendos sobre os ganhos. De momento, a vila entregou a administração de todas as suas terras à curadoria, o que gerou um aumento da renda anual de 100 mil yuans para a coletividade da vila, e um crescimento da renda de 2,36 milhões de yuans para os agricultores.

Agora, essa prática de Tengzhou está sendo promovida em várias províncias agrícolas, aumentando a produtividade, a renda dos agricultores e os ganhos da cooperativa.

Trabalhadora examina as mudas de Dendrobium officinale, uma espécie de orquídea, usada com frequência na medicina tradicional chinesa, numa unidade de cultura da vila de Dongbei, cidade de Xinghua, província de Jiangsu

O papel da ciência e tecnologia

Produtos tradicionais da agricultura rendem aos agricultores apenas pequenos ganhos. Aumentar o valor agregado da produção agrícola por meio de ciência e tecnologia torna-se uma importante maneira de melhorar a renda dos agricultores. Gerente geral da Hainan Wanzhong Co., Li Yusheng está no setor agrícola há 21 anos. Há oito anos, ciente de que mais de 95% dos abacaxis plantados na China eram da espécie Bali, Li decidiu desenvolver uma variedade mais lucrativa. Após anos de esforços, a equipe de Li, em cooperação com colegas, desenvolveu um conjunto de técnicas de plantio de “abacaxis dourados” cobrindo todos os passos do cultivo, da irrigação, fertilização até o acompanhamento de mudas.

O passo seguinte foi a formação de um núcleo industrial de abacaxis dourados de Hainan, com cultivos padronizados, uma cadeia industrial de alta qualidade e desenvolvimento sustentável. A base de abacaxis dourados de Li emprega mais de mil trabalhadores em cada cultivo.

Agora Li está tentando conectar sua base de cultivos à rodovia próxima, uma medida para melhorar a operação geral da base e promover seu desenvolvimento. Além disso, também planeja montar uma fábrica de processamento integral do abacaxi, a fim de avançar na integração vertical dos setores primário, secundário e terciário no negócio de abacaxi do Condado de Ledong, em Hainan, além de aumentar o lucro dos produtos agrícolas.

“Para dar uma vantagem ao setor do abacaxi, é necessário ir além dos limites da agricultura, promovendo o desenvolvimento integrado dos setores primário, secundário e terciário. Isso irá tornar o cultivo mais lucrativo, assegurar o constante aumento da renda dos agricultores, melhorar a coesão das organizações rurais nativas, e transformar a área rural num lugar bonito, alcançando assim uma modernização rural na nova era”, declarou Kong Xiangzhi, professor da Escola de Economia Agrícola e Desenvolvimento Rural da Universidade de Renmin da China.

A indústria alimentando a agricultura

A moderna agricultura inevitavelmente implica o desenvolvimento integrado dos setores primário, secundário e terciário. Áreas rurais modernizadas sem dúvida irão também contribuir para um desenvolvimento rural-urbano coordenado. Sob a anterior estrutura dual urbano-rural da China, as áreas rurais e os agricultores contribuíram imensamente para o desenvolvimento urbano do país. Agora é hora de as cidades fomentarem o desenvolvimento rural.

A vila de Renlaotun, no Condado de Dongming da Província de Shandong, tem uma base industrial pequena. No entanto, nos últimos anos, a influência da plataforma chinesa de comércio digital taobao.com vem penetrando gradualmente na área, e estimulou os negócios on-line locais. Em 2015, o agricultor Zhu Yongjin começou a vender on-line pinturas decorativas que ele mesmo fazia, que atraíram muitos clientes por seu forte sabor local.

Zhu começou então a vender on-line uma série de produtos agrícolas. Tornou-se o primeiro especialista em e-commerce da vila. À medida que essa loja virtual passou a receber mais pedidos e aumentou seu volume de vendas, em 2016 Zhu criou a Dongming County Ali E-business, o centro de serviços de comércio pela internet da cidade de Dongmingji, e o centro de serviços de entrega da cidade. Atualmente, os agricultores da vila de Renlaotun já abriram 72 lojas on-line com 150 pessoas envolvidas no comércio eletrônico, e com volume anual de vendas de 20 milhões de yuans.

“Ao explorar o caminho de desenvolvimento da moderna agricultura, devemos prestar atenção aos seguintes aspectos: melhorar o conteúdo tecnológico da agricultura, em particular no que se refere à incubação e à inovação em técnicas de plantio; promover o desenvolvimento da agricultura inteligente; e avançar numa combinação mais próxima entre a agricultura e as finanças modernas”, destacou Jiang Chun, Secretário do Partido na Universidade Agrícola de Anhui.

“A proposta de revitalização rural objetiva diminuir a defasagem entre o desenvolvimento urbano e o rural e melhorar a atual situação, em que o progresso da modernização agrícola fica atrás em relação à industrialização, informatização e urbanização do país”, observou Wang Julu, presidente da Associação da Sociedade Próspera da China. “O desenvolvimento da agricultura moderna irá inevitavelmente promover o desenvolvimento integrado urbano-rural e a integração dos setores primário, secundário e terciário”, acrescentou Wang.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.