Relíquias chinesas de 2 mil anos são repatriadas do Japão

O conjunto de oito utensílios de bronze fazem parte do patrimônio cultural chinês e, segundo os pesquisadores, haviam sido roubados de tumbas antigas

A Administração Estatal de Patrimônio Cultural da China anunciou que um conjunto de oito utensílios de bronze pertencentes ao patrimônio cultural chinês foi trazido de volta do Japão, após cinco meses de busca por parte das autoridades. Guang Qiang, vice-diretor da administração, disse que as peças estão entre as relíquias mais valiosas que foram encontradas e repatriadas com sucesso para a China nos últimos anos, depois do bloqueio do seu comércio ilegal no mercado internacional.

Os utensílios foram identificados pelos pesquisadores como objetos roubados de tumbas antigas, que datam do Período da Primavera e Outono (770 a.C. – 476 a.C.), que ficam localizadas em Suizhou, na província de Hubei. De acordo com os funcionários, os artigos de bronze, junto com os 330 caracteres chineses gravados neles, trazem informações valiosas sobre o antigo estado de Zheng, que, misteriosamente, não aparece nos registros históricos.

Guan explicou que as peças chegaram à China no dia 23 de agosto, graças aos esforços conjuntos realizados pelos departamentos diplomáticos, culturais e de segurança pública do país. A recuperação dos utensílios de bronze foi conduzida segundo as convenções internacionais, principalmente a Convenção da UNESCO de 1970 sobre os Meios de Proibição e Prevenção da Importação, Exportação e Transferência Ilícitas da Propriedade de Bens Culturais, e contou com a cooperação do governo japonês.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.