Relatório evidencia racismo na pena de morte dos Estados Unidos

Estudo sobre Oklahoma mostra como as penas severas são aplicadas a réus não-brancos

White House / Casa Branca / US/ USA/ Estados Unidos

Créditos: Xinhua/Liu Jie

Um novo relatório divulgado pelo canal de TV KFOR investiga a história da pena de morte em Oklahoma. O texto afirma que, embora “questões sistêmicas” no uso da pena de morte pelo estado afetem todos os réus, o impacto é distorcido com base na cor das pessoas envolvidas no caso.

Especialistas dizem que o impacto é particularmente severo nos réus não-brancos. “O condado de Oklahoma e o condado de Tulsa, na verdade, são o quarto e sexto do país em número e execuções”, disse Ngozi Ndule, vice-diretor do Centro de Informações sobre Pena de Morte, acrescentando também que o estado fica em segundo lugar apenas para o Texas em número do total de execuções.

Ao mesmo tempo, enquanto a população negra em Oklahoma representa um pouco mais de 40% das pessoas no corredor da morte atualmente, de acordo com o Departamento de Correções, dados recentes do Censo dos EUA mostram que eles representam apenas cerca de 7% da população total do estado.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.