Regiões chinesas expandem plantação de soja

O objetivo do país com isso é aumentar o fornecimento do grão no mercado interno, para não depender tanto de importações

As principais regiões que cultivam soja na China estão expandindo os seus territórios para conseguir um rápido crescimento no fornecimento doméstico de soja de alta qualidade ainda este ano, e assim, diminuir a dependência chinesa em importações. A semeadura está em andamento nas províncias de Heilongjiang, Henan e Jilin, e na Região Autônoma da Mongólia Interior, com uma taxa estimada de expansão de plantio de mais de 10% este ano.

As importações de soja pelo país caíram pela primeira vez em sete anos, de acordo com o Relatório do Desenvolvimento do Setor Agrícola da China 2019, divulgado nesta semana. O volume de importações ficou em 88,03 milhões de ton no ano passado, com uma queda de 7,9% em relação a 2017.

Os futuros de soja na Chicago Board of Trade fecharam na última segunda-feira no nível mais baixo em mais de 10 anos, já que os comerciantes mostraram crescentes preocupações sobre o agravamento da fricção comercial entre os EUA e a China. O país asiático anunciou que elevará a taxa de tarifas adicionais impostas sobre alguns dos produtos norte-americanos importados a partir de 1º de junho, após os EUA aumentarem as tarifas de 10% para 25% sobre US$ 200 bilhões de bens chineses.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.