Radiotelescópio FAST buscará “novos mundos” fora do sistema solar

Os cientistas estão interessados em planetas que tenham campo magnético semelhante ao da Terra e que estejam a até 10 anos-luz dela

Astrônomos chineses e franceses publicaram um plano ambicioso de observação usando o Radiotelescópio Esférico de 500 metros de Abertura (FAST, na sigla em inglês) na revista acadêmica Research in Astronomy and Astrophysics. Além de buscar sinais de vida extraterrestres, o plano propõe que o radiotelescópio, que é o maior e mais sensível do mundo, busque planetas extrassolares (exoplanetas) com campo magnético semelhante ao da Terra, a até 100 anos-luz dela.

Li Di, pesquisador nos Observatórios Astronômicos Nacionais da Academia Chinesa de Ciências e cientista-chefe do FAST, disse que os cientistas estão mais interessados em planetas habitáveis, que devem ter não apenas água, temperatura e atmosfera adequadas, mas também um campo magnético. Philippe Zarka, astrônomo do Observatório de Paris, disse que os planetas são os lugares mais favoráveis para a vida. Até o momento já foram descobertos cerca de 4 mil exoplanetas.

Existem seis planetas magnetizados no sistema solar com um campo magnético de escala planetária: Mercúrio, Terra, Júpiter, Saturno, Urano e Netuno. “No nosso sistema solar, planetas magnetizados são fortes fontes radioelétricas. A detecção radioelétrica dos exoplanetas tem como objetivo a caracterização física dos exoplanetas e estudos comparativos com planetas do sistema solar”, disse Zarka.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.