Quatro milhões de chineses trabalharam como guardas contra COVID-19

Cidadãos eram responsáveis por medir temperatura corporal em suas comunidades residenciais e rastrear infecções

Durante a epidemia de coronavírus na China, cerca de quatro milhões de cidadãos trabalharam como vigias contra a doença em 650 mil comunidades residenciais urbanas e rurais. Os guardas eram responsáveis por medir a temperatura corporal dos moradores, rastreando infecções, divulgando políticas governamentais e desinfetando os bairros.

Os dados foram divulgados neste domingo por meio do livro branco “Combate à COVID-19: China em Ação”, publicado pelo Departamento de Comunicação do Conselho de Estado.

De acordo com o livro, muitas pessoas comuns se voluntariaram na linha de frente, trabalhando como guarda nas comunidades, fazendo a triagem de infecções, trabalhos de limpeza, compra e entrega de medicamentos e mantimentos para atender às necessidades urgentes dos outros residentes.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.