Produtores de café brasileiros buscam expandir seus negócios na China

Cafeeiros veem na exposição de importação que acontecerá em Xangai, em novembro, a oportunidade para aumentar suas vendas no país asiático

O setor cafeeiro do Brasil está buscando expandir seus negócios na China e com a chegada da China International Import Expo (CIIE), que acontecerá em Xangai de 5 a 10 de novembro, a oportunidade de aumentar as vendas no país parece ter chegado. Ao menos 12 produtores brasileiros de café já estão se preparando para expor as suas linhas gourmet no evento, que terá o Brasil como convidado de honra.

De acordo com Igor Brandão, diretor de agronegócios da Agência Nacional de Promoção de Exportações (Apex) a exposição “é uma ótima plataforma para apoiar e promover a entrada de marcas brasileiras no mercado chinês, considerando a força que o café brasileiro tem no mundo”. A feira também permite que representantes do governo brasileiro e do setor privado tenham uma visão em primeira mão dos “novos hábitos (de consumo) dos chineses”, disse Brandão, ressaltando que de acordo com dados compilados das vendas de café no país, o consumo chinês chegou a triplicar.

A promoção da indústria de café e grãos de alta qualidade do Brasil é tarefa da Associação Brasileira de Cafés Especiais, que está por trás de campanhas de mídia como “Brasil, a nação do café”. “Nós somos o maior produtor e exportador de café do mundo, mas o café brasileiro é colocado em uma mistura de marcas globais mais conhecidas. As pessoas em todo o mundo bebem diferentes marcas de café sem perceber que é brasileiro”, comentou Brandão, afirmando que a campanha pretende reverter essa situação.

As exportações brasileiras de café para a China representam apenas 0,2% do total de suas vendas globais, sendo que a Alemanha, os Estados Unidos e a Itália são os seus maiores compradores. Brandão afirma que ainda existe muito espaço para crescer no mercado chinês de cafés especiais, uma vez que a China é o principal parceiro comercial do Brasil.

Para atingir os consumidores chineses, várias marcas de café já estão desenvolvendo suas campanhas. O Café Floresta, empresa de Santos e sede da antiga Coffee Exchange afirmou em entrevista à Xinhua que está procurando parceiros comerciais chineses. “Nosso interesse é colocar nosso café moído no mercado chinês, mas também introduzir nossas inovações, como cafés aromatizados com chocolate, trufas, baunilha, nozes e amêndoas”, disse Aderlanio Prado, representante comercial da empresa.

José Francisco Pereira, diretor geral da Cafés Monte Alegre, empresa com 101 anos, afirmou que participar da exposição visa expandir o mercado da marca na Ásia, onde ele já vende no Japão e na Coreia do Sul. “O que nos diferença é o café especial e a China é um mercado emergente para cafés especiais”, comentou Pereira.


Fonte: Xinhua

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.