Primeiro museu da ópera tibetana é construído na China

O museu deverá funcionar como plataforma onde pessoas poderão conhecer mais sobre a ópera tibetana por formas de multimídia

Teve início a construção do primeiro museu chinês que será dedicado à ópera tibetana em Lhasa, a capital da Região Autônoma do Tibete. Listada como patrimônio cultural imaterial em 2006 e adicionada à Lista de Patrimônio Mundial da UNESCO em 2009, a ópera tibetana remonta ao século XIV e teve origem em histórias, lendas e ensinamentos budistas.

O museu irá ocupar uma área de 1.080 m² e, segundo a trupe regional da ópera tibetana tradicional, apresentará a história, as escolas e o desenvolvimento da ópera tibetana, assim como os seus trajes, máscaras e propriedades do palco. O museu irá funcionar como uma plataforma onde os pesquisadores e turistas poderão conhecer melhor a ópera tradicional por meio de textos, fotos, áudios e vídeos, entre outras formas de multimídia.

O presidente da trupe, Panqu Wangchug, afirmou que o museu é significativo para despertar a popularidade, a proteção e o desenvolvimento da ópera tibetana em âmbito mundial. O custo do museu deverá ser de cerca de 5,44 milhões de yuans (US$ 800 mil) e o final da construção está previsto para a primeira metade de 2019.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.