Primeira sonda chinesa para “tocar” o Sol será lançada em 2022

O satélite deve monitorar a estrela por, pelo menos, quatro anos

O Observatório Solar Avançado no Espaço (ASO-S) da China vai lançar a primeira sonda solar no primeiro semestre de 2022, marcando a missão de “tocar” o Sol.

O satélite de 1 ton entrará em órbita sincronizada com a estrela a 720 km da Terra para monitorá-la durante 24 horas por dia por, pelo menos, quatro anos, de acordo com o Observatório da Montanha Roxa da Academia Chinesa de Ciências.

Os objetivos da operação incluem observação do campo magnético do Sol e dos dois principais fenômenos eruptivos, as erupções solares e ejeções de massa coronais (CMEs).

Até agora, o Sol é a única estrela fixa que pode ser estudada por humanos em detalhes. A maior parte da radiação é bloqueada pela atmosfera da Terra. Somente sondas podem fazer uma imagem completa do astro.

Segundo Gan Weiqun, pesquisador do Observatório da Montanha Roxa da Academia Chinesa de Ciências, o equipamento lançado pode fazer registros da atividade solar durante o pico, que deve acontecer em 2025.

O satélite também é capaz de realizar previsão do tempo espacial. As CMEs podem ser detectadas pelo menos 40h antes de sua chegada ao observatório. Isso é importante para facilitar os alertas antecipados de danos ao ambiente eletromagnético da Terra.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.