Portugal recebe exposição com os três tesouros de Lishui

A exposição marca o início de uma turnê na Europa e é uma forma de comemorar os 40 anos do estabelecimento de laços diplomáticos sino-portugueses

A escultura em pedra de Qingtian, o celadon de Longquan e a espada de Longquan são três tesouros famosos da cidade chinesa de Lishui, província de Zhejiang. Para celebrar o 40º aniversário do estabelecimento das relações diplomáticas entre a China e Portugal, uma exposição de turnê do Cinturão e Rota dos três tesouros de Lishui foi realizada no dia 11 de dezembro, no Palácio Nacional da Ajuda, em Lisboa, segundo a Federação dos Chineses de Ultramar de Zhejiang.

Portugal desempenha um importante papel na Rota da Seda Marítima do Século 21, sendo um ponto de ligação entre a Rota da Seda Terrestre e a Rota da Seda Marítima na Europa, além de ser um dos primeiros países europeus a apoiar e responder à Iniciativa do Cinturão e Rota da China. A exposição mostrou cerca de duzentas peças desses três tesouros, numa tentativa de divulgar a imagem cultural chinesa na Europa.

A exposição, que é a primeira parada da turnê pela Europa, traz uma série de carimbos que tem o nome “Família da China, Novo Capítulo de Felicidade” e é composta por 70 carimbos com o tema de “boa fortuna” para trazer sorte à Portugal.

As peças dos três tesouros exibidas nesta exposição pertencem ao Museu da Arte de Escultura em Pedra Ni Dongfang. Liu Jianwu, diretor do Museu de Arte Ni Dongfang, disse que a primeira exposição dos três tesouros de Lishui em Portugal visa criar uma plataforma para trocas culturais entre a China e Portugal e propagar melhor a cultura chinesa aos países e regiões de língua portuguesa, a fim de contribuir para a “Era de Ouro” sino-portuguesa.

Após a turnê, será planejada a construção do “Museu dos Tesouros de Lishui da China e Centro de Intercâmbio da Cultura Chinesa” em Lisboa, onde serão exibidas todas as peças deste evento e mais outras da cultura e arte tradicionais chinesas por um longo tempo, para que os europeus poderem apreciar o charme único da cultura tradicional chinesa, promover o compartilhamento de recursos culturais e artísticos entre os dois países e construir uma ponte de comunicação cultural entre a China e o Ocidente.

Fonte: Xinhua

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.