Porto chinês e Petrobrás inauguram depósito de petróleo

O depósito, localizado no porto de Qingdao, já recebeu 130 ton de petróleo bruto brasileiro do grande cargueiro Maran Cleo

O porto de Qingdao, na China, e a estatal brasileira de petróleo e gás, Petrobrás, inauguraram um depósito de armazenamento aduaneiro de petróleo bruto, primeiro do tipo num porto chinês. O depósito já recebeu 130 ton de petróleo bruto do grande navio cargueiro brasileiro Maran Cleo no final do mês de junho, enquanto um segundo cargueiro deverá a chegar ao porto entre os dias 10 e 15 de julho. O acordo assinado entre as duas partes prevê o aluguel de quatro tanques de armazenamento de petróleo, com capacidade total de 400 mil m³.

A novidade marca o início de um novo modelo de cooperação nesse importante setor da economia. Com esse depósito, as refinarias chinesas podem comprar o petróleo bruto aduaneiro no porto de Qingdao, com base em suas próprias demandas em vez de comprar uma grande quantidade de petróleo do exterior e enfrentar os riscos de flutuações nos preços.

A vice-presidente sênior da Petrobrás, Anelise Lara, enfatizou que o petróleo bruto brasileiro passa a ter uma nova plataforma de exportação, o que deverá trazer um crescimento substancial nos lucros da estatal.  A companhia disse no mês de maio, quando anunciou que armazenaria petróleo na China, que vem trabalhando intensamente para ganhar mercado entre as refinarias independentes do país asiáticos, que também são conhecidas como “teapots”.

Apenas em 2018, a Petrobrás produziu 110 milhões de ton de petróleo bruto, o que corresponde a aproximadamente 82% d o total da produção brasileira.

“O porto de Qingdao, junto com outros portos na China, estão atualmente funcionando como uma plataforma para as trocas comerciais domésticas e internacionais, além das suas funções originais de operação logística”, declarou Li Fengli, presidente da Qingdao Port (Group) Co. Ltd.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.