População idosa da China deve atingir 487 milhões em 2050

O país vem intensificado seus esforços para melhor atender às necessidades dos idosos, especialmente na área da saúde

A China deverá ter uma população de 487 milhões de pessoas com 60 anos de idade ou mais por volta de 2050, segundo o Escritório da Comissão Nacional do Trabalho sobre o Envelhecimento. Nos últimos anos o país asiático tem intensificado os seus esforços para promover serviços diversificados de atendimento domiciliar a idosos, baseados na comunidade e no lar, promovendo a integração de cuidados e serviços médicos, assim como as evidências de Seguro de assistência a longo prazo.

Atualmente a China possui 163.800 instituições e instalações de atendimento a idosos, que oferecem 7,46 milhões de camas aos anciãos. Segundo uma diretriz emitida pelo Ministério de Assuntos Civis, até 2022 o país deverá ter todas as comunidades equipadas com instalações de atendimento a idosos e o país treinará 2 milhões de trabalhadores de enfermagem para idosos.

Robôs cuidadores

A fabricante chinesa de robôs SIASUN Robot & Automation Co. também está focada nessa população, e já está desenvolvendo robôs para oferecer melhores serviços aos idosos. Até agora já foram criados mais de 20 tipos de produtos robóticos, incluindo robôs inteligentes para cuidados diários, camas inteligentes, cadeiras hospitalares semiautomáticas, entre outros.

A SIASUN aponta que os robôs podem ajudar os idosos nos cuidados diários, o que aumentaria a eficiência e reduziria a intensidade de trabalho da equipe de enfermagem. “Com a crescente população mais velha, há um enorme mercado e espaço para desenvolver robôs de reabilitação para idosos na China”, ressalta Li Xuewei, gerente geral da divisão de robôs médicos e de saúde da companhia.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.