População idosa chinesa deve ter rápido aumento a partir de 2025

Segundo estudo, a China deve apresentar uma “sociedade envelhecida” já em 2026, com 14% da sua população com 65 anos ou mais

Entre os anos de 2025 e 2050 a China deverá ter um rápido aumento da população com 80 anos ou mais, segundo um relatório emitido recentemente pelo Peking Union Medical College e pela Associação Chinesa Aging Well (CAWA, na sigla em inglês). O texto também afirma que o país será uma “sociedade envelhecida” até 2026, com mais de 14% do total da população com 65 anos ou mais.

Tomando como base uma publicação da ONU intitulada “Perspectiva da População do Mundo: Revisão em 2017”, o texto afirma que até 2017, o número de pessoas com 80 anos ou mais na China era de 26 milhões, o que corresponde a 1,8% da população do país. Essa proporção poderá subir para 2% em 2025 e para 8% em 2050.

Em 2018, a China tinha 249 milhões de pessoas com 60 anos ou mais (17,9% do total de sua população), tornando-se o país com a maior população de idosos e com o crescimento mais rápido nesta faixa etária do mundo.

O estudo prevê que o crescimento acelerado da população envelhecida trará desafios para o desenvolvimento econômico do país, uma vez que os gastos com planos de saúde, pensões e outras áreas relacionadas a cidadãos de terceira idade deverão aumentar de 7,33% do PIB chinês para 26,24% entre 2015 e 2050.

Liu Yuanli, diretor da CAWA e editor-chefe do relatório, avalia que o país deve melhorar ainda mais seus sistemas de saúde e outros sistemas de seguridade social para enfrentar o rápido envelhecimento da população. A Comissão Nacional de Saúde da China divulgou um plano de trabalho com 12 outros departamentos do governo para melhorar a saúde dos idosos.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.