Planalto Qinghai-Tibet fica mais quente e úmido devido ao aquecimento global

Temperaturas na região subiram em uma taxa maior que o dobro da média global

Afetado pelo aquecimento global, o planalto Qinghai-Tibet, na China, tem se tornado mais quente e úmido nas últimas décadas, contribuindo para a ocorrência de eventos climáticos extremos, mostrou um estudo divulgada no site da Administração Meteorológica Chinesa nesta semana.

O planalto tem se aquecido mais rápido do que qualquer outra região do país nos últimos 60 anos. De 1961 a 2020, as temperaturas na região subiram constantemente a uma taxa de 0,35 grau Celsius a cada 10 anos, mais que o dobro da média global, enquanto a precipitação anual aumentou em 7,9 milímetros a cada 10 anos.

Embora um clima mais quente tenha tornado a região mais verde e expandido os habitats de animais selvagens, é mais provável que eventos climáticos extremos e desastres como nevascas, temporais com relâmpago e trovão, deslizamentos de terra e fluxos de detritos ocorram na região.

Um planalto mais quente e úmido também pode levar à perda da biodiversidade, diminuição das geleiras e mudanças no crescimento da vegetação na região, demonstrou a pesquisa.

Com a maior elevação de latitude média do mundo, o planalto Qinghai-Tibet é altamente sensível ao impacto do aquecimento global. A região é conhecida como “a torre de água da Ásia”, pois abriga geleiras abundantes, vitais para o ciclo hídrico regional e recursos nas áreas próximas.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.