Pesquisadores chineses usam tecnologia para aprimorar a utilização de terras cultivadas

Rendimento médio de arroz no sul da China aumentou em mais de 1,5 ton por hectare

A China melhorou a proteção e a utilização de terras cultivadas por meio de inovações em ciência e tecnologia durante o 13º Plano Quinquenal (2016-2020), segundo a Academia Chinesa de Ciências Agrícolas (ACCA).

No período, a entidade promoveu a inovação teórica básica, a pesquisa de tecnologia-chave e a pesquisa e desenvolvimento de produtos importantes. Com isso, os pesquisadores conseguiram aumentar o conteúdo orgânico do solo negro no nordeste da China em 12% a 16%, onde a produção de grãos representa um quarto do país.

Outras melhorias fizeram o rendimento médio de arroz, no sul da China, ampliar em mais de 1,5 ton por hectare, de acordo com a ACCA.

A academia também introduziu novos métodos de fertilização para as principais culturas de grãos e novas tecnologias para usar os recursos nutricionais de forma mais eficiente, reduzindo a fertilização de nitrogênio químico em 10% a 30%.

A ACCA ainda desenvolveu técnicas de análise e expressão de big data para solo e construiu um sistema digital de alta precisão cobrindo todo o país, que, até agora, é o mais completo e detalhado conjunto de dados sobre recursos e qualidade de solo na China.

Para o próximo Plano Quinquenal, o órgão pretende acelerar a construção de uma grande plataforma de ciência e tecnologia para a pesquisa de qualidade de terras cultivadas. Além de um sistema de monitoramento inteligente de alto padrão para terras agrícolas, bem como um novo modelo com base em big data para a supervisão de terras cultivadas.

A ACCA também pretende dar continuidade ao estudo sobre recursos nutricionais e microorganismos agrícolas.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.