Pequim elimina uso de carvão para aquecimento no inverno

Esforço faz parte do projeto de combate à poluição e melhora na qualidade do ar da metrópole

Pequim conseguiu cumprir seu plano de eliminar o uso de carvão em mais 450 vilas em 2018, a tempo do início da estação de aquecimento no inverno, de acordo com um informe da Comissão Municipal de Assuntos Rurais de Pequim. A cidade intensificou os seus esforços para que as aldeias não usassem mais carvão, uma vez que a queima do material prejudica os objetivos municipais de controle da poluição.

A capital do país e sua maior metrópole, Pequim tem uma população de mais de 21 milhões de habitantes e lançou em 2013 um programa para reduzir o uso do carvão em favor de uma energia limpa, para melhorar a qualidade do ar. Até o final de outubro deste ano, quase 3 mil vilarejos conseguiram eliminar o uso do carvão, sendo que 858,1 mil famílias trocaram o material por energia limpa para se aquecer nesse inverno.

Como resultado dessa política, a qualidade do ar em Pequim melhorou consideravelmente. A densidade média de PM 2,5 (um indicador de poluição bastante utilizado) da cidade foi de 55 µg/m³ durante os primeiros sete meses deste ano, ou seja, 14,1% a menos que no mesmo período de 2017, que por sua vez, já era 20,5% a menos que em 2016.

Han Zheng, vice-premiê chinês, ressaltou no último mês a importância do uso de energia limpa para o aquecimento no inverno na região norte do país, evidenciando que a China deve garantir que os cidadãos dessa região tenham um aquecimento seguro enquanto avança na melhora da qualidade do ar. Um plano divulgado em setembro diz que um total de 3,62 milhões de famílias em Pequim, Tianjin e outras 26 cidades devem ter seus sistemas de aquecimento a carvão substituídos por sistemas de energia limpa até o final de 2018.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.