Panchen Lama recebe “diploma de doutorado” da escola Gelug de budismo tibetano

Ele obteve o diploma Kachen depois de concluir um debate de duas horas

Após mais de 20 anos de estudo dos sutras, o 11º Panchen Lama alcançou o mais alto grau em ensinamentos exotéricos da escola Gelug de budismo tibetano, equivalente a um diploma de doutorado em educação moderna.

O 11º Panchen Lama, Bainqen Erdini Qoigyijabu, obteve o diploma Kachen depois de concluir um debate de duas horas na terça-feira no Mosteiro de Tashilhunpo, na cidade de Xigaze, na Região Autônoma do Tibet, sudoeste da China.

A importante ocasião foi testemunhada por cerca de 800 pessoas, incluindo budistas reverenciados de grandes mosteiros e templos no Tibet, bem como monges e peregrinos.

O budismo foi introduzido no Tibet em meados do Século VII. Na história do budismo tibetano, várias escolas formaram diferentes sistemas de aprendizagem e prática, e cultivaram um grande número de budistas instruídos.

Por volta das 17h30, o Panchen Lama apareceu e foi recebido por monges carregando incensários nas mãos para o segundo andar, de frente para uma praça cheia de pessoas.

Depois de um entoar de sutras, ele caminhou até seu assento. Com cerca de duas horas de debate, o Panchen Lama foi agraciado com um “manzha”, uma espécie de oferenda budista honrosa, e hadas, ou lenços de seda usados pelos tibetanos para expressar respeito e saudação, indicando que ele passou no exame e atingiu o mais alto grau.

Com o nome secular Gyaincain Norbu, o Panchen Lama nasceu em fevereiro de 1990 no distrito de Lhari, na cidade de Nagqu, no norte do Tibet. Ele foi aprovado pelo governo central como a reencarnação do 10º Panchen Lama e foi entronizado em 1995.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.