O papel da responsabilidade corporativa para o bem comum

Cada vez mais empresas assumem sua responsabilidade social com populações desassistidas

Por Yuan Shuai

Um número crescente de empresas tem atendido ao chamado da prosperidade comum, um tópico que recentemente se tornou central em muitas discussões. “Encontrar maneiras de contribuir para a prosperidade comum vem ganhando terreno como manifestação contemporânea de responsabilidade social corporativa (corporate social responsibility, CSR)”, afirmou Qu Yongyi, secretário do partido e vice-diretor do Instituto de Economia Industrial da Academia Chinesa de Ciências Sociais, acrescentando que há um bom consenso a respeito de seu papel e direção.

De passivo a proativo – Ao falar sobre a responsabilidade social corporativa (CSR) e seu papel no processo de promover a prosperidade comum, Li Anping, presidente do Grupo Zhendong, ficou profundamente comovido ao contar que na adolescência teve que largar a escola para trabalhar na agricultura e reduzir o seu fardo para a família. Quando a Federação Chinesa de Indústria e Comércio lançou o programa 10 Mil Empresas Revitalizam 10 Mil Aldeias, o Grupo Zhendong ofereceu ajudar o distrito de Pingshun em Changzhi, província de Shanxi. Localizado no meio das Montanhas Taihang, Pingshun foi o distrito com a maior incidência, a maior amplitude e o grau mais profundo de pobreza de Changzhi, com 51.997 pessoas vivendo abaixo da linha de pobreza.

Por meio de estudos de campo e avaliações, a equipe de alívio à pobreza liderada por Li descobriu que Pingshun tem um longo histórico de plantio de ervas usadas na medicina tradicional chinesa. São mais de 300 espécies de plantas medicinais crescendo no distrito e arredores. Para estimular essas condições favoráveis, o Grupo Zhendong desenvolveu o pujante setor da medicina chinesa de ervas no distrito, criando uma fazenda de 33 mil ha para plantio de insumos medicinais e uma base de processamento.

O grupo em seguida explorou a formação de um modelo de gestão de grade para ajudar cada lar pobre do distrito. Por meio do modelo operacional formado por “governo + companhia + cooperativa profissional + agricultor”, a base garante compradores para as plantas dos agricultores, eliminando as preocupações deles sobre dedicar tempo e recursos para plantar matéria-prima de medicina tradicional chinesa e não obter resultados. O grupo assinou contratos de arrendamento e compra de terras e contratos de trabalho com lares empobrecidos. Empregos temporários oferecem a lares pobres uma renda adicional. Li celebrou o fato de o distrito de Pingshun ter alcançado o alívio à pobreza em 2019, um ano antes do programado.

Desde que o provedor de serviços de viagem online Ctrip Group lançou o Terra Magnífica, um programa de turismo de alívio à pobreza, os recursos locais foram revitalizados e suas lojas alcançaram mais de 450 cidades em nível distrital, com lojas também em 16 distritos empobrecidos. O alívio à pobreza permitiu que centenas de jovens em pequenas cidades trabalhassem em casa. Alguns deles chegam a receber um salário mensal de mais de 10 mil yuans, que é cerca de quatro vezes a renda local per capita. As fazendas de férias da Ctrip também dão prioridade a contratar residentes locais e promover o desenvolvimento econômico da área. O Grupo Rezen, uma marca de hotéis de alto nível associada à Ctrip, empreendeu a operação de acompanhamento e gestão dessas fazendas de férias. Segundo seu CEO Lu Yun, além de empoderar as fazendas e pousadas dos arredores com um sistema de apoio de hotelaria de alto nível, e com tecnologia e gestão de marketing, a Rezen também presta atenção especial ao recrutamento e treinamento de talentos locais. Por exemplo, as fazendas dão prioridade a contratar residentes da área, especialmente membros de famílias pobres.

Promover o desenvolvimento rural – A economia privada, como força indispensável para promover o desenvolvimento econômico e social da China, tornou-se importante fonte de empreendedorismo, emprego, inovação tecnológica e receita para o Estado. Não se pode subestimar o seu poder no processo de buscar a prosperidade comum.

Há dois anos, Meng Wenhai, líder do nono lote de quadros despachados de Xangai ao Tibete, trabalhou como vice-secretário do Partido em Xigaze. Ele levou uma equipe a uma visita ao Ctrip Group, esperando que o Ctrip usasse suas vantagens em recursos e talento no setor de turismo para ajudar a desenvolver o turismo em Xigaze. Eles rapidamente chegaram a um consenso, e a Ctrip tornou-se a primeira empresa privada de Xangai a participar da provisão de ajuda ao Tibete. Utilizando seus recursos e pontos fortes, ela não mediu esforços para ajudar Xigaze a vencer a batalha contra a pobreza. A companhia selecionou Deng Qi, um funcionário da geração Z (nascidos depois de 1990) como encarregado do negócio de turismo no Tibete, entre mais de 30 mil empregados. Com esforços conjuntos, uma nova rota turística incluindo os Himalaias está ganhando forma. De acordo com o plano, a Ctrip dentro de dois anos irá trazer 50 mil turistas por ano a essa rota. Calculando um preço de 5 mil yuans por visitante, isso proporcionará diretamente vendas no valor de 250 milhões de yuans para a região.

A CD Finance é uma instituição abrangente de serviços rurais que tem foco em apoiar grupos desfavorecidos nas áreas rurais a desenvolver a economia, aumentar a renda e alcançar prosperidade. Com base em sua experiência internacional, ela desenvolve práticas localizadas concebendo produtos que combinem modelos digitais com levantamentos manuais de crédito para atender com precisão a necessidades financeiras de cidades rurais. Sua operação dá livre curso às vantagens das microfinanças para o alívio à pobreza.

Segundo seu presidente e gerente geral Liu Dongwen, na primeira metade de 2021 a CD Finance havia estabelecido filiais em 400 distritos pelo país, oferecendo um total de mais de 4,7 milhões de empréstimos, num valor de mais de 80 bilhões de yuans, dos quais 44% foram usados diretamente para plantio e aquacultura. Atualmente, dos mais de 430 tomadores de empréstimos, mais de 70% são mulheres, beneficiando mais de sete milhões de agricultores. “Como ferramenta poderosa no alívio à pobreza, as microfinanças são não só um efetivo suplemento aos serviços das instituições financeiras tradicionais, como estimulam a motivação endógena dos pobres ao “ensinarem os homens a pescar”, para que possam desenvolver a produção em suas cidades natais, promovendo o emprego local”, declarou Liu.

Nos últimos anos, com o avanço da estratégia da revitalização rural, as necessidades das pessoas do campo também sofreram tremendas mudanças, e isso colocou novas exigências nas organizações de serviços à agricultura. Nesse contexto, a CD Finance continuou promovendo um upgrade em seu negócio, inovando em seus serviços e usando tecnologia digital para integrar finanças e fatores de produção, a fim de melhor promover a revitalização industrial e aumentar as rendas dos agricultores.

Segundo Liu, a CD Finance continuará melhorando seus serviços e construindo uma plataforma abrangente de serviços com a ajuda de tecnologia digital para alcançar especialização e escala. Seguirá aprimorando funções como conectividade da informação, integração de recursos, transações, apoio financeiro, treinamento técnico e aconselhamento empresarial, auxiliando melhor o desenvolvimento de uma agricultura moderna e aumentando a vitalidade empreendedora rural. Também continuará promovendo sua capacidade e organização, para criar melhor ambiente de emprego e desenvolvimento para os talentos rurais.

Atualmente, a CD Finance tem mais de 6 mil funcionários, dos quais mais de 80% trabalham no nível das comunidades. Eles vêm de dezenas de milhares de aldeias de mais de 400 distritos do país, e a maioria são agricultores locais ou pequenos e microempreendedores. Seu nível de instrução costuma ser abaixo das faculdades técnicas e a média de idade é de 36 anos.

Quanto à melhor contribuição que poderia ser dada à prosperidade comum nos próximos anos, Li Anping disse: “A sociedade está se desenvolvendo, o consumo vem tendo um upgrade e a renda de todos cresceu. Agora todos os agricultores estão fora da linha da pobreza. Mas alguns deles podem voltar a ela em razão de doença, acidentes ou por desastres naturais. Portanto, o Grupo Zhendong tem revisto seu padrão de alívio à pobreza e colocado foco em desenvolver a longo prazo o setor de plantio de insumos para a indústria de medicina tradicional chinesa”.

Até o momento, o grupo ajudou agricultores a formar 486 cooperativas profissionais e construir bases de plantio padronizadas em 19 distritos de Kaihua,empobrecidos, entre eles os de Pingshun e Qinxian, levando a um crescimento sustentado da renda de 220 mil lares empobrecidos, com um aumento da renda média de 2 mil a 3 mil yuans. Como reconhecimento desses louváveis esforços, o Grupo Zhendong recebeu o “Prêmio Nacional de Contribuição ao Alívio à Pobreza” e o título de “Modelo Nacional de Alívio à Pobreza”, sendo a única companhia até hoje a receber ambas as premiações.

* Yuan Shuai é repórter da Insight China.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.