O forno Guan da dinastia Song

Suas peças refletem a estética minimalista de uma época próspera da porcelana chinesa

A dinastia Song (960-1279) é considerada um período muito próspero muito próspero dentro do desenvolvimento da porcelana chinesa. Nessa época houve uma evolução do estilo e das técnicas de cozimento dessa arte. Os famosos “Cinco Fornos” dessa dinastia foram o Guan ou Imperial, o Ru, o Ge, o Ding e o Jun. Destes, o Guan destacou-se por seu refinamento.

Ele surgiu da insatisfação que o imperador Huizong (1082-1135) sentia em relação às imperfeições das peças de porcelana. O imperador dirigia pessoalmente a manufatura de artigos de porcelana, fato sem precedentes na capital Bianliang (atual Kaifeng, província de Henan). Assim nasceu não só o primeiro forno estatal construído com investimentos da corte na história da cerâmica chinesa, como também o primeiro forno monopolizado pelo imperador. Tratava-se, portanto, de um produto elaborado segundo os desenhos imperiais, em termos de moldagem, decoração e esmalte.

As dinastias Ming e Qing, posteriores à dinastia Song, também possuíam fornos imperiais, mas eram locais de produção de cerâmica construídos pelas autoridades locais, isto é, órgãos estatais. A diferença fundamental entre estes e os fornos das pessoas comuns está na propriedade da argila e não no produto. Quando fazemos referência à porcelana do forno Guan, geralmente estamos falando de peças do forno oficial da dinastia Song.

Mantida em segredo

Como foi criada especificamente para a família real, essa porcelana foi mantida em segredo, e mesmo os eruditos tinham pouco conhecimento dela. Por isso, sobraram poucos registros históricos nos séculos posteriores. Segundo a opinião generalizada, o próprio forno Guan da dinastia Song divide-se no forno da dinastia Song do Norte (960-1127) e no da dinastia Song do Sul (1127-1279). O primeiro, estabelecido pelo imperador Huizong em Kaifeng, funcionou durante menos de 20 anos no século XII. Em 1127, quando os soldados de Jin marcharam para o sul, o governo Song viu-se obrigado a mudar a capital para Lin’an (atual cidade de Hangzhou), conhecida como a dinastia Song do Sul.

O governo instalou em Hangzhou um novo forno para o cozimento de porcelana real, chamado “Guan da dinastia Song do Sul”. Como o curso do rio Amarelo mudou várias vezes ao longo da história, a cidade de Bianliang está enterrada profundamente e as ruínas do forno da dinastia Song do Norte ainda não foram encontradas. Em seu curto tempo de cozimento, os produtos pontos eram utilizados apenas pelas famílias imperiais, enquanto as peças defeituosas eram destruídas e enterradas no local, impedindo sua difusão popular. O Palácio Imperial da dinastia Song do Norte foi saqueado pelos soldados de Jin e sobreviveram poucas peças de porcelana.

O imperador Huizong construiu o forno Guan para atividades artísticas. Independentemente de seu custo de produção, essas peças alcançaram um nível muito alto na busca da perfeição do esmalte. Com seu verniz grosso, como o jade oleoso, mostrava muito rigor na escolha de matérias-primas e na combinação de cores. Para isso, foram acrescentados vários minerais preciosos, como a ágata e o jade, até se alcançar um luxo extremo. Naturalmente, a principal razão pela qual os fornos populares não podiam imitá-lo era seu considerável custo.

Em termos de formas, em geral seu estilo imitava peças de bronze antigas, com formas refinadas e detalhes extravagantes. Em vez de peças de grande tamanho, a maioria delas eram pratos, tigelas, garrafas, piveteiros, recipientes para lavar pincéis, entre outros. Além disso, esse tipo de porcelana caracteriza-se por sua simplicidade e por uma decoração geralmente de bordas desniveladas e nervuras paralelas.

O imperador Huizong, que tinha um requintado gosto estético, admirava especialmente o celedon e elogiava a simplicidade de seu esplendor natural. Assim, a porcelana Guan da dinastia Song, fresca e elegante, reflete completamente a estética da época. Seu estilo artístico único expressa a sublimidade clássica da nação. Embora ocupe apenas uma pequena parte da porcelana da dinastia Song, representa o maior êxito da arte cerâmica da etnia Han, e é a única na história da China que não circulou no mercado e que foi elaborada sob a direção do imperador. Um provérbio chinês diz: “Conhecer a porcelana do forno Guan significa conquistar metade do país”, o que mostra a raridade da porcelana oficial. Os objetos herdados pertenciam em sua maioria à coleção da Cidade Proibida da dinastia Qing, e são conservados atualmente no Museu do Palácio Imperial de Pequim e no Museu do Palácio Imperial de Taipei.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.