Mourão diz que China é “parceiro estratégico” do governo brasileiro

O vice-presidente, que esteve em Pequim recentemente, ressaltou a recepção calorosa dos chineses durante a sua visita ao país asiático

O vice-presidente do Brasil, Hamilton Mourão, afirmou que o governo considera a China um parceiro “extremamente estratégico” e destacou a recepção calorosa que recebeu das autoridades chinesas durante a sua recente visita a Pequim. O comentário foi feito durante um jantar, organizado pelo deputado Fausto Pinato, no Clube Militar de Brasília, em que ele foi homenageado, e entre os presentes estavam autoridades como os ministros das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e da Agricultura, Tereza Cristina, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, entre outros deputados e senadores.

Em discurso aos presentes, Mourão, que também é presidente da Comissão Sino-Brasileira de Alto Nível de Concertação e Cooperação (Cosban), disse que no final de 2018 ele recebeu, do presidente Jair Bolsonaro, a missão de reativar a Comissão que “estava adormecida” desde 2015. “Naquele momento, o presidente me deu duas diretrizes muito claras: que a COSBAN voltasse a funcionar e se tornasse o mecanismo de mais alto nível na relação entre os dois países com uma reunião no primeiro semestre e que entregássemos ao governo chinês uma mensagem política firme, de nosso presidente, dizendo que consideramos a China um parceiro extremamente estratégico”, afirmou.

Ao falar sobre a visita a Pequim, que ocorreu entre os dias 19 e 24 de maio, o vice-presidente disse que o tratamento do governo chinês foi o mais leal e camarada possível. “A delegação brasileira ficou extremamente honrada pela forma amiga, pela consideração com que fomos recebidos. Principalmente pela forma que discutimos todos os pleitos oriundos não só do nosso governo, como também do governo chinês”, explicou.

Durante a recepção em Brasília, Mourão foi condecorado com a medalha 2019 da Amizade Brasil-China, o que, segundo ele, o deixou muito emocionado. “Tudo o que vamos buscar com o governo do presidente Bolsonaro é o bem-estar da população brasileira e, mais ainda, nossa inserção de forma altaneira, soberana, flexível e pragmática no concerto de todas as nações”, concluiu.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.