Ministério da Educação da China solicita combate às fraudes de teses acadêmicas

Entre as violações que governo quer extinguir estão o plágio, o ghostwriting e a compra e venda de dissertações

Uma circular que exige que as universidades fechem o cerco às violações acadêmicas das teses de literatura foi divulgada essa semana pelo Ministério da Educação da China. Entre as fraudes mais cometidas, estão o plágio, forjamento, falsificação, ghostwriting, além da compra e venda de dissertações.

O pedido faz parte de um esforço coletivo para restabelecer a ordem na educação superior, e, pelo anúncio, o ministério solicita dos sistemas de gestão uma melhora na supervisão de todas as fases do processo das teses, incluindo a seleção de tópicos, propostas, e defesas, assim como a aplicação rigorosa de detecção de plágio e verificação do local das teses de licenciatura.

Ainda foi solicitado que os currículos escolares se tornassem mais desafiadores e de qualidade superior e que o desempenho de avaliação formativa possa abranger a maior proporção da pontuação do estudante. O sistema de avaliação que é aplicado atualmente aos professores universitários também precisa ser revisitado e a qualidade de ensino deve ter maior peso quando se avalia o desempenho dos docentes.


Fonte: Xinhua

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.