Microssatélite chinês conclui sua missão e cai em solo lunar

De acordo com o Centro de Exploração Lunar, tudo aconteceu de forma controlada e o Longjiang-2 teve uma vida útil superior ao período previsto

Foto tirada pelo microssatélite Longjiang-2

O Centro de Exploração Lunar e Programa Espacial da Administração Nacional Aeroespacial da China informou que o microssatélite da China, Longjiang-2, caiu em solo lunar no dia 31 de julho, após ter concluído sua missão.

O Longjiang-2 foi enviado ao espaço em 21 de maio de 2018, junto do Queqiao (Ponte de Pegas), um satélite de retransmissão da sonda lunar Chang’e-4, e entrou na órbita da Lua quatro dias depois. Sua operação espacial foi de 437 dias, ultrapassando seu tempo de vida útil previsto. De acordo com o centro, o microssatélite lunar foi desenvolvido para oferecer uma nova opção de baixo custo de exploração do espaço profundo.

Com o seu detector de onda ultralonga, desenvolvido pelo Centro Nacional de Ciência Espacial da Academia Chinesa de Ciências, o microssatélite conduziu observações de radiações eletromagnéticas e estudos da radiação solar.

Como parte da cooperação internacional da missão Chang’e-4 da China, o Longjiang-2 portava uma câmera ótica, desenvolvida pela Cidade do Rei Abdulaziz para Ciência e Tecnologia da Arábia Saudita, que captou 30 imagens de alta definição da Lua. Segundo o centro, essa foi uma importante conquista no âmbito da cooperação espacial com os países da Iniciativa do Cinturão e Rota, e de um maior espaço para cooperação espacial entre China e Arábia Saudita.

O programa ainda impulsionou uma cooperação não governamental entre os pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Harbin, na província de Heilongjiang, e pesquisadores de outros países como Japão, Alemanha e Holanda.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.