Mercado de cinema da China deve se tornar o maior do mundo

Medidas rigorosas para reabertura das salas de exibição fortalecem setor no país asiático

Especialistas analisam que o mercado audiovisual da China deve ultrapassar o dos Estados Unidos em breve. O rigor da China ao reabrir seus cinemas diante da pandemia do novo coronavírus pode favorecer a mudança de cenário entre os dois países.

Após meses de fechamento, as salas de exibição chinesas voltaram a operar com uma série de medidas de prevenção epidêmica, como o uso obrigatório de máscaras, a venda de bilhetes não adjacentes em todas as filas e o limite por sessão a 30% da capacidade. Os resultados são ingressos esgotados em minutos.

“A China quer estar muito certa para reabrir as salas e elas continuarem funcionando. O cinema será um dos últimos setores a voltar a funcionar, e por isso poderá vir ainda mais forte”, afirma Richard Gelfond, o principal executivo da IMAX Corporation.

Em 2019, as bilheterias chinesas cresceram 5%, atingindo a marca de US$9 bilhões, enquanto as vendas norte-americanas recuaram 4%, registrando US$11 bilhões.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.