Médicos militares assumem tratamento de pacientes com coronavírus em Wuhan

Uma equipe de 1,4 mil médicos do exército assumiu o Hospital Huoshenshan, unidade dedicada ao tratamento dos casos do novo vírus

Com a aprovação de Xi Jinping, presidente da Comissão Militar Central da China, 1,4 mil médicos do exército assumem a tarefa de tratar pacientes no Hospital Huoshenshan, em Wuhan. O novo hospital, com capacidade para mil leitos, é uma unidade provisória dedicada ao tratamento de pacientes infectados com o novo coronavírus.

A equipe designada para a tarefa é composta por 950 profissionais de hospitais afiliados à Força Conjunta de Apoio Logístico do Exército de Libertação Popular (ELP) e 450 de universidades médicas do exército, da marinha e da força aérea do ELP, que haviam sido enviados para Wuhan anteriormente. Também foi criado um grupo de 15 especialistas para orientar a prevenção e o controle da epidemia no hospital.

Vários membros da equipe participaram da luta contra a SARS (síndrome respiratória aguda grave) no Hospital Xiaotangshan, em Pequim, ou da missão contra o Ebola em Serra Leoa e na Libéria, e possuem ricas experiências no tratamento de doenças infecciosas.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.